Escolha uma Página
Métricas do Instagram, quais você deve considerar?

Métricas do Instagram, quais você deve considerar?

Hoje, muitas empresas e pessoas usam o Instagram com o objetivo de divulgar seus produtos e serviços, afinal de contas, é importante estar presente no dia a dia dos consumidores e estabelecer o relacionamento deles com a marca.

 

Segundo o próprio Instagram, 80% dos seus usuários seguem ao menos uma marca, 60% das pessoas descobrem novos produtos pelo Instagram, mundialmente há mais de dois milhões de anunciantes lutando para atingir seu target ideal e você é um deles?  Se sim, quais são as métricas que você leva em consideração para ter relevância na rede, ou ainda nem pensou nisso?

Independente da resposta acredito que com essas dicas básicas – levadas em consideração e aplicadas – poderão te ajudar a ter notoriedade nessa incrível ferramenta, vem comigo!

 

Primeiramente, você precisa de um perfil comercial no Instagram

Veja aqui como fazer.

É importante definir com quem você irá se RELACIONAR. Estabeleça quem são os clientes ideais para o seu negócio, quem você gostaria de atender todos os dias em sua loja, para quem sua consultoria foi idealizada, ou que tipo de solução o seu negócio traz para determinado problema. Defina bem isso e acredite, eles estão no Instagram!

Produza conteúdos relevantes e faça testes, às vezes, seu público exigirá um conteúdo mais leve, apenas uma simples foto caseira da equipe, às vezes, eles vão preferir vídeos explicativos sobre um tema mais denso, mas a ideia aqui é identificar os conteúdos que melhor performam e intensificá-los.

Tipos de Conteúdos: Fotos, Vídeos, Stories, Lives, Carrossel, Publicações de Compras e se você mexer na ferramenta perceberá vários tipos que o Instagram possui e um deles vai agradar em cheio o seu público e para cada um deles estabeleça a métrica que mais tem a ver com seu negócio.

 

Alinhe suas métricas ao seu objetivo de negócio

Outro ponto importantíssimo para você olhar com atenção e alinhar suas métricas aos seu objetivo de negócio: talvez hoje, o objetivo primordial é gerar tráfego ao site. Então, não faz sentido segurar a audiência apenas no Instagram e o que levaria o público ir ao site, talvez um CTA ao final do seu vídeo ou um conteúdo patrocinado? Não sei, é preciso testar!

Ligações, comentários, e-mails, envolvimento, segmentos, como chegar, impressões, curtidas, visitas ao perfil, alcance, salvos, SMSs, seguidores, dentre tantos objetivos quais métricas levar em consideração? Todas! A resposta está na associação de todas elas.

E para saber se o que você planejou está de acordo com o que seu público consome o Instagram possui uma ferramenta maravilhosa, o Instagram Insights e você tem acesso a todos os dados em tempo real dos seus seguidores, publicações e stories por aqui oh:

 

como-trabalhar-metricas-do-instagram                                       metricas-instagram-ladies-on

Apesar de estar batido e parecer clichê, o caminho das pedras para obter resultados otimistas no Instagram quem irá te dar é o seu público, através dos estímulos do seu conteúdo.

Observe as interações, o que seu público fala, quer, precisa, cruze com os dados do Instagram Insights, use isso a favor do seu negócio e mãos à obra!

4 lições sobre performance em marketing digital que a corrida de rua me ensinou

4 lições sobre performance em marketing digital que a corrida de rua me ensinou

Trabalho com marketing digital desde 2013, quando comecei a fazer estágio em uma agência de publicidade. Mesmo ano em que descobri o vício das corridas de rua e participei da minha primeira prova de 10 quilômetros.

De lá para cá, já participei de inúmeros eventos relacionados à área, me formei em jornalismo e fiz uma pós-graduação em Marketing e Design Digital. Assim como corri provas com distâncias variadas de 5 a 21 quilômetros. As provas com distâncias maiores, como uma meia maratona, nos exigem um pouco de experiência e treinos mais específicos. Não dá para simplesmente calçar o tênis, sair correndo e esperar completá-las sem a sensação de sofrimento.

Passado um tempo que estava inserida nesses dois universos, descobri que para ter melhores resultados precisava entender mais sobre performance e que ela diz muito sobre esses dois universos.

Conheça 4 lições que a corrida de rua me ensinou sobre performance em marketing digital:

1 – Desempenho

Para ter um bom desempenho nas corridas de rua é preciso ter resistência cardiovascular, ou seja, o corpo precisa suprir os músculos de oxigênio. Levando essa máxima ao negócio, precisamos coletar, processar e interpretar os dados de forma eficiente. Só assim, teremos boas tomadas de decisões.

2 – Amplitude

Nas pistas, é preciso ter flexibilidade no movimento das articulações para aumentar a amplitude das passadas e, assim, diminuir o pace (minutos por quilômetro percorrido). Já no marketing digital, para maximizar as conversões é preciso criar, testar, analisar, testar novamente, analisar mais uma vez, replicar e, por fim, tentar escalonar. É um verdadeiro pensamento de growth hacker. Afinal, se será necessário desenvolver uma mesma ação mais de uma vez, é possível automatizá-la. Dessa forma, podemos gastar tempo e energia em outras coisas mais importantes como padrões, regras, anúncios, testes e outras coisas que demanda que só podem ser desenvolvidas por alguém com capacidade analítica.

3 – Agilidade

Correr a maior quantidade no menor tempo possível é sinônimo de agilidade. Como livre analogia, podemos falar nos testes, resultados e alterações. Mudanças em uma campanha que antes demandavam tempo, hoje podem ser realizadas rapidamente e de forma eficiente.

4 – Saúde

Por fim e não menos importante: manter-se em movimento é bom para a saúde. Tanto a sua quanto a do seu negócio! Estamos vivendo mudanças cada vez mais rápidas que nos mostram que as melhores práticas já não são mais suficientes para crescer de forma saudável. Precisamos criar o nosso futuro priorizando as pessoas e as interações com elas. Depois podemos focar na tecnologia e na marca, que será muito bem recompensada!

Google Adwords: o que você pode estar deixando passar

Google Adwords: o que você pode estar deixando passar

O Google Adwords é uma ferramenta incrível de marketing digital. Não preciso te convencer sobre a importância do Google.

Se uma empresa quer atingir pessoas que estão pesquisando pelo seu produto, o Google Adwords é o lugar certo e um dos canais na internet onde é possível se obter resultado mais rápido: a pessoa está pesquisando pelo produto, você está mostrando.

Mas um canal tão amplo como esse, só é bem sucedido junto a uma complexa ferramenta de anúncios, oferecendo diversas possibilidades e uma concorrência que não é só baseada no valor de investimento.

Para usar o máximo do potencial dessa ferramenta, é preciso sair do básico. Acompanhe alguns detalhes que passam batido por muitos anunciantes e otimize suas campanhas.

1 – Regras Automatizadas

Com as regras automatizadas muitas tarefas realizadas repetidamente podem ser feitas automagicamente. Por exemplo:

– Lances mais altos de acordo com o horário ou outras condições;

– Ativação de anúncios para datas especiais;

– Pausar palavras e anúncios com baixo desempenho (defina exatamente, como por exemplo, custo alto de conversão);

– Ajuste de lance para posição média almejada;

– Aumento de orçamento em campanhas de alta conversão;

As possibilidades são muitas. Mas, cuidado ao usar: a máquina é implacável. Principalmente em aumentos de orçamento e ajuste de lance, atenção redobrada para não ter surpresas como o orçamento gasto antes do tempo.

 2 – Segmentação Geográfica

Essa vai parecer uma dica simples para quem já usa a ferramenta, mas tem um detalhe que passa batido por muita gente: na hora de fazer o setup da campanha, geralmente o anunciante seleciona a localização a segmentar a campanha, por exemplo, a cidade de Piracicaba. Por padrão, e se observar o “recomendado”, estará selecionada a seguinte opção: “pessoas que estão na minha região de segmentação, pesquisam sobre ela ou tem interesse nela (recomendado)”.

(Invejosos dirão que a interface é antiga)

 

Principalmente para campanhas de segmentação geográfica restrita, essa pode não ser a melhor opção. Não se engane com o “recomendado”. Podem vir cliques de muitas outras cidades que não vão converter, principalmente se é um produto ou serviço local. Verifique já as cidades da sua campanha que tem mais cliques/conversões e observe esse detalhe.

3 – Poucas palavras-chave por Grupo de Anúncio

Inchar os grupos de anúncio com muitas palavras-chave diferentes vai dificultar o seu trabalho de utilizar as palavras-chave nos anúncios e medir os termos que trazem melhores resultados.

Faça mais grupos de anúncio limitando os termos dentro deles para ter uma visão melhor da campanha.

4 – Mais de um anúncio por Grupo de Anúncio

Aproveitando o assunto Grupo de Anúncio: economizou nas palavras por grupo, mas não precisa economizar nos anúncios! É comum ver contas com um anúncio só por Grupo, mas isso não é o suficiente para testar o desempenho. Quais CTAs convertem mais, qual o apelo gerou mais interesse, etc. Conforme otimiza a campanha, crie novos e siga testando.

5 –  Não coloque só o Português na Configuração da Campanha

Essa é outra dica que vai parecer boba mas passa batido muitas vezes. A maior parte dos anunciantes seleciona geralmente só o idioma Português na segmentação, mas muitos usuários utilizam o inglês e até o espanhol no padrão de linguagem. Seja porque estão estudando a língua ou não mudaram a configuração. O problema é que se a sua campanha estiver só para ‘Português’, essas pessoas não verão seus anúncios.

6 – Concentre as campanhas da Rede Display no Destktop

Embora todas as dicas digam para privilegiar o mobile e é cada vez maior o tráfego – orgânico e pago – vindo de dispositivos móveis, o uso dessa configuração para a Rede Display pode não ser a melhor ideia.

A questão é física: muitas vezes o usuário simplesmente esbarra o dedo sem querer no banner. Não estava interessado de fato, mas acabou clicando. Pense direitinho no seu público e na segmentação: muitas vezes campanhas de display focadas em branding, bem segmentadas por canais, podem ter foco em impressões e o mobile valer a pena, mas não é sempre.

Dica Bônus

Tem um milhão de tips possíveis, ou na verdade, detalhes (nem tão pequenos) que você deve reparar na construção da campanha. Um importante é o índice de qualidade das palavras-chave.

Não é tão simples de resolver, porque também depende do site. Por isso entrou para seção “bônus”.

As palavras precisam estar relacionadas ao que está sendo anunciado, estar nos anúncios e, aqui muitos anunciantes falham, presentes na página de destino.

Um índice de qualidade alto das palavras-chave vai favorecer muito as campanhas e um Custo Por Clique mais baixo.

E você, tem outras dicas?

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com