Escolha uma Página
Dia do Consumidor: é apenas mais uma data comemorativa?

Dia do Consumidor: é apenas mais uma data comemorativa?

Usar o Dia do Consumidor em sua estratégia de marketing pode aumentar as vendas do seu negócio

O Dia Mundial do Consumidor é comemorado dia 15 de março. A data foi instituída no ano de 1962, pelo presidente dos Estados Unidos John Kennedy, como uma forma de dar proteção aos interesses dos consumidores americanos.

O presidente norte-americano ofereceu quatro direitos fundamentais aos consumidores:

  1. Direito à segurança
  2. Direito à informação
  3. Direito à escolha
  4. Direito à ser ouvido

No Brasil, os direitos do consumidor foram protegidos através da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, que entrou em vigor apenas em 11 de março do ano seguinte (1991). Em 2019, o dia foi comemorado hoje, dia 13 de março (quarta-feira), por ser uma data melhor comercialmente.

E, como tudo no Brasil, algumas mudanças são feitas trazendo para nossa realidade. Esse ano, ao invés de ser comemorado com promoções e/ou brindes apenas em um dia, ela está sendo prolongada por muitas lojas e e-commerces durante toda a semana e até durante o mês.

Esta data tem crescido bastante e por muitos já é chamada de “Black Friday do primeiro semestre”, segundo uma Pesquisa de Intenção de Compra publicada pelo Social Miner.

Incluir essa data comemorativa e outras importantes que estão por vir em seu calendário de planejamento pode ajudar e muito a aumentar as vendas de um negócio.

 

Planejar para agir estrategicamente

O planejamento antecipado garante uma maior eficácia da sua estratégia de divulgação e o cliente esteja preparado para essa ação. Seja com estoque, custos internos para oferecer descontos ou produção de brindes.

Por isso, é fundamental entender o negócio do seu cliente para poder mostrar a importância de cada data comemorativa e como ela pode impactar o negócio dele.

Mas, na vida real, nem tudo são flores. Você acompanhou as tendências de consumo do Google, estruturou a campanha do seu cliente e o imprevisto acontece!

Hoje mesmo, o Facebook, Whatsapp e Instagram tiveram uma instabilidade fora do comum para muitos usuários. O que levou muitos profissionais da área a mudar o foco do anúncio ou forma de entrega da campanha para que a mesma não se perdesse.

Lamentar, ou culpar esse imprevisto não vai mudar o fato ocorrido, vida que segue. Pensar à frente do que pode ser feito nos ajuda a tirar insights e formas de divulgação de acordo com a realidade do cliente.

Agora é hora de pensar nas próximas campanhas como a Páscoa, Dia das Mães , Dia dos Namorados e assim por diante. Porque o tempo não pára, mas podemos de alguma forma ter um pouco de controle pelas datas sazonais, do que pode ser planejado e executado.

 

Marketing Sazonal: como fazer anúncios que vendem mais?

Marketing Sazonal: como fazer anúncios que vendem mais?

Você já começou seu planejamento digital para esse ano, levando em consideração o marketing sazonal?

O marketing sazonal é uma estratégia em que aproveitamos para estimular vendas em períodos específicos e manter o negócio aquecido. Nele, utilizamos datas comemorativas e sazonais como estratégia de mídia, conteúdo e vendas.

O objetivo é complementar, desenvolver estratégias e rotinas que vão potencializar as vendas e conquistar mais clientes. Para isso, 3 estratégias de marketing podem ser usadas durante esse período:

  • E-mail marketing (principalmente se você já tem uma lista de e-mails qualificada)
  • Anúncios pagos nas redes sociais (criação de campanhas publicitárias específicas)
  • Marketing de conteúdo (quando você já tem um blog e/ ou site com um bom tráfego de pessoas acessando e já com uma estratégia definida)

Muitos segmentos ainda não exploram tão bem o marketing sazonal, apesar de ele já ser bastante divulgado, principalmente no segmento varejista. Esse é o momento de você se destacar dos demais.

Como fazer um planejamento de marketing sazonal?

1 – Mapeie e escolha as datas comemorativas.

Como toda boa estratégia digital, trabalhar com datas comemorativas requer planejamento. Faça um levantamento das datas que são celebradas tanto universalmente quanto regionalmente. O Serasa Experian produziu um Calendário de Datas Comemorativas que pode te ajudar nesse momento.

Em seguida, avalie se elas fazem sentido para o seu cliente ou negócio. Não vai adiantar você escolher datas que não estejam alinhadas com o posicionamento do seu negócio ou do seu cliente. Escolher datas erradas podem gerar desperdício de tempo, dinheiro e recursos.

Saia do comum! Além das datas consideradas mais óbvias, leve em consideração as menos conhecidas. Datas alternativas poderão ser oportunidades para trazer bons resultados. Atualmente, no Brasil, existem mais de 150 datas comemorativas somente neste primeiro semestre. Aproveite!

2 – Entenda o seu público-alvo

Depois de mapear as datas mais importantes, o próximo passo é compreender o seu público-alvo (a quem se destina) e a sua jornada de compra ou modelo de negócio. Embora você já tenha seu público-alvo definido, algumas datas serão mais estratégicas para um público que não seja o seu diretamente. Tenha em mente que talvez você não se relacione em um primeiro momento com as suas personas diretas, mas ainda assim você alcançará novas possibilidades.

3 – Busque inspirações e referências anteriores

Realize Benchmarking, se inspirando no mercado e na concorrência. Se você está começando, pode ser interessante identificar estratégias que já trouxeram bons resultados e não correr muitos riscos com abordagens que não foram cases tão bons.

Além disso, pesquise se seu cliente ou empresa já fez alguma estratégia digital com datas comemorativas, esse resgate pode ser valioso para as suas novas ações.

4 – Crie uma campanha

Agora que você já planejou, pesquisou e entendeu seu mercado e público-alvo, está na hora de definir um propósito para sua campanha. Assim como qualquer campanha de marketing, é necessário definir que mensagem você quer passar e o retorno que você espera. Escolha bem em quais mídias e formatos que você quer aparecer. Faça com que a mensagem transmita seus objetivos e leve seus clientes ao caminho que você definiu.

Fique ligado: cada rede social tem características únicas. E cada campanha estará em uma etapa de funil de vendas específico. Sua estratégia deve considerar todos esses pontos. Exemplo: Enquanto o Twitter é formado por mensagens curtas, rápidas e com conteúdo em tempo real, o Facebook oferece um canal maior de relacionamento. Além de que, cada uma delas tem dimensões diferentes de tamanho de mensagens de textos, imagens e duração de vídeo.

5 – Faça um cronograma e elabore um plano de ação

“Uma ação para o dia de natal não começa no Natal.” É preciso se antecipar ao máximo para executar uma campanha em datas comemorativas, principalmente nas mais óbvias. Inicie o seu plano de ação com awareness para o topo de funil com no mínimo 2 meses de antecedência.

Seus concorrentes, provavelmente, terão a mesma estratégia que você. Se destaque. Será difícil competir quando todo mundo estará fazendo a mesma coisa em datas super concorridas.

Crie uma audiência antes para trabalhar o remarketing nesses períodos e assim garantir o fortalecimento da sua campanha com pessoas realmente interessadas.

É preciso estar atento aos temas e anúncios dos links patrocinados. O conteúdo deve ser criativo e consiga atrair novos clientes.

Dica: Defina horários certos para as postagens e pause em momentos auges. Monitorar a sua campanha será essencial para você ter bons resultados. Atualmente, avalie também, campanhas de marketing voltadas para dispositivos mobiles, pois estes possuem mais visibilidade que desktops (PCs).

Seja criativo! No Facebook, aproveite as diversas possibilidades de formatos ao seu favor. Aproveite as datas especiais para gerar vendas e promoções. Use o formato Obtenções de oferta. Crie cupons para as pessoas utilizarem nas suas lojas virtuais, físicas ou para divulgar algum serviço.

Com antecedência, publique imagens ou vídeos para avisá-los da promoção e gerar expectativas. Outro formato bem interessante é o Facebook Lead Ads, com ele você pode gerar leads e impactá-los posteriormente por e-mail marketing ou na sua própria campanha (através de listas de públicos personalizados).

Ah, não se esqueça de ter tudo preparado e validado para ser divulgado em todos os canais de comunicação que você escolheu com bastante antecedência.

Pra você que não considerou ainda essas datas, vale a pena repensar e aproveitar no seu planejamento digital. Ainda dá tempo!

Curtiu as dicas? Tenho certeza que estará mais preparado para aproveitar as oportunidades que o marketing sazonal pode trazer para o seu negócio ou cliente 🙂

Planejamento de conteúdo: o que é e dicas de como fazer

Planejamento de conteúdo: o que é e dicas de como fazer

Você já sentou na frente do computador e teve dificuldades para produzir conteúdo? Se a sua resposta foi sim, esse texto é para você! Muitas vezes, essa dificuldade existe por não haver uma estratégia de conteúdo bem definida.

Independente da área de atuação, alguns pontos precisam ser definidos antes de colocar a mão na massa e efetivamente produzir conteúdo. No livro Marketing de Conteúdo, Rafael Rez, define a estratégia de conteúdo como a “prática de planejar, criar, entregar e gerenciar conteúdo útil e interessante a um público-alvo específico”.

Planejar, de forma geral, é saber onde se está e aonde se quer chegar. É nessa etapa que se deve entender o público, definir os objetivos do conteúdo, mapear a concorrência e determinar quais serão os primeiros passos.

O primeiro passo do planejamento de conteúdo é conhecer o cliente e criar personas, estereótipo do cliente ideal, para direcionar a conversa com ele. Podemos desenvolver quantas personas forem necessárias para conversar efetivamente com o público. Que saber mais sobre persona? Nesse post, nós falamos de 4 ferramentas baseadas em dados para conhecer melhor a persona. Já nesse, mostramos como se comunicar com o seu cliente de forma singular. Confira outros conteúdos sobre persona.

O segundo passo é definir os objetivos do marketing de conteúdo para o negócio. Sem essa etapa, não é possível saber o que devemos correr atrás. O maior erro das estratégias de marketing, de forma geral, é não ter um objetivo claro e definido. Aprendi com Michael Porter que uma estratégia sensata começa com um objetivo correto. Da mesma forma que o planejamento estratégico deve ter um objetivo para o negócio, cada conteúdo produzido deve ter um objetivo específico.

Em seguida, é importante definir em quais canais atuar. É preciso estar em diversos canais para conseguir falar com a audiência e muita gente erra achando que a internet inteira se resume ao Facebook, por exemplo. Em alguns momentos, o ponto de contato com as personas vai acontecer através das mídias sociais, em outros do e-mail ou, até mesmo, do WhatsApp.

O quarto passo é a definição dos formatos de conteúdo. Depender exclusivamente de um formato de conteúdo não é o ideal. Por isso, trabalhe com formatos diferentes como post de blog, infográficos, vídeos, redes sociais, etc. e varie sempre que possível.

Após a definição dos formatos, é importante criar um calendário de conteúdo com temas e datas comemorativas relevantes para aquele negócio. Depois de todas essas etapas, é o momento de definir os KPI’s e as métricas. Sem saber o que medir, não é possível entender se a estratégia de conteúdo estabelecida está tendo sucesso ou não. Lembre-se de documentar todas etapas, metas, objetivos e como os conteúdos selecionados estão sendo estratégicos para alcançá-los.

Por fim e não menos importante: não se esqueça de que atrás de cada avatar, cada e-mail e cada tweet, existe uma pessoa. Então construa relações verdadeiras com os seus clientes.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com