O Google Adwords é uma ferramenta incrível de marketing digital. Não preciso te convencer sobre a importância do Google.

Se uma empresa quer atingir pessoas que estão pesquisando pelo seu produto, o Google Adwords é o lugar certo e um dos canais na internet onde é possível se obter resultado mais rápido: a pessoa está pesquisando pelo produto, você está mostrando.

Mas um canal tão amplo como esse, só é bem sucedido junto a uma complexa ferramenta de anúncios, oferecendo diversas possibilidades e uma concorrência que não é só baseada no valor de investimento.

Para usar o máximo do potencial dessa ferramenta, é preciso sair do básico. Acompanhe alguns detalhes que passam batido por muitos anunciantes e otimize suas campanhas.

1 – Regras Automatizadas

Com as regras automatizadas muitas tarefas realizadas repetidamente podem ser feitas automagicamente. Por exemplo:

– Lances mais altos de acordo com o horário ou outras condições;

– Ativação de anúncios para datas especiais;

– Pausar palavras e anúncios com baixo desempenho (defina exatamente, como por exemplo, custo alto de conversão);

– Ajuste de lance para posição média almejada;

– Aumento de orçamento em campanhas de alta conversão;

As possibilidades são muitas. Mas, cuidado ao usar: a máquina é implacável. Principalmente em aumentos de orçamento e ajuste de lance, atenção redobrada para não ter surpresas como o orçamento gasto antes do tempo.

 2 – Segmentação Geográfica

Essa vai parecer uma dica simples para quem já usa a ferramenta, mas tem um detalhe que passa batido por muita gente: na hora de fazer o setup da campanha, geralmente o anunciante seleciona a localização a segmentar a campanha, por exemplo, a cidade de Piracicaba. Por padrão, e se observar o “recomendado”, estará selecionada a seguinte opção: “pessoas que estão na minha região de segmentação, pesquisam sobre ela ou tem interesse nela (recomendado)”.

(Invejosos dirão que a interface é antiga)

 

Principalmente para campanhas de segmentação geográfica restrita, essa pode não ser a melhor opção. Não se engane com o “recomendado”. Podem vir cliques de muitas outras cidades que não vão converter, principalmente se é um produto ou serviço local. Verifique já as cidades da sua campanha que tem mais cliques/conversões e observe esse detalhe.

3 – Poucas palavras-chave por Grupo de Anúncio

Inchar os grupos de anúncio com muitas palavras-chave diferentes vai dificultar o seu trabalho de utilizar as palavras-chave nos anúncios e medir os termos que trazem melhores resultados.

Faça mais grupos de anúncio limitando os termos dentro deles para ter uma visão melhor da campanha.

4 – Mais de um anúncio por Grupo de Anúncio

Aproveitando o assunto Grupo de Anúncio: economizou nas palavras por grupo, mas não precisa economizar nos anúncios! É comum ver contas com um anúncio só por Grupo, mas isso não é o suficiente para testar o desempenho. Quais CTAs convertem mais, qual o apelo gerou mais interesse, etc. Conforme otimiza a campanha, crie novos e siga testando.

5 –  Não coloque só o Português na Configuração da Campanha

Essa é outra dica que vai parecer boba mas passa batido muitas vezes. A maior parte dos anunciantes seleciona geralmente só o idioma Português na segmentação, mas muitos usuários utilizam o inglês e até o espanhol no padrão de linguagem. Seja porque estão estudando a língua ou não mudaram a configuração. O problema é que se a sua campanha estiver só para ‘Português’, essas pessoas não verão seus anúncios.

6 – Concentre as campanhas da Rede Display no Destktop

Embora todas as dicas digam para privilegiar o mobile e é cada vez maior o tráfego – orgânico e pago – vindo de dispositivos móveis, o uso dessa configuração para a Rede Display pode não ser a melhor ideia.

A questão é física: muitas vezes o usuário simplesmente esbarra o dedo sem querer no banner. Não estava interessado de fato, mas acabou clicando. Pense direitinho no seu público e na segmentação: muitas vezes campanhas de display focadas em branding, bem segmentadas por canais, podem ter foco em impressões e o mobile valer a pena, mas não é sempre.

Dica Bônus

Tem um milhão de tips possíveis, ou na verdade, detalhes (nem tão pequenos) que você deve reparar na construção da campanha. Um importante é o índice de qualidade das palavras-chave.

Não é tão simples de resolver, porque também depende do site. Por isso entrou para seção “bônus”.

As palavras precisam estar relacionadas ao que está sendo anunciado, estar nos anúncios e, aqui muitos anunciantes falham, presentes na página de destino.

Um índice de qualidade alto das palavras-chave vai favorecer muito as campanhas e um Custo Por Clique mais baixo.

E você, tem outras dicas?

 

 

  • Ver +
Uma entusiasta de performance e planejamento digital,à frente da Nuvem Marketing Digital.
Formada em Jornalismo na UNESP, pós-graduada em Gestão e Produção em Comunicação pela PUC-Campinas, apaixonada pelo poder do marketing digital em romper fronteiras da criatividade, estou aqui para desbravar um mercado de publicidade melhor para mulheres e negócios.

Comentários