Quem não trabalha com desenvolvimento web ou plataformas digitais nem sempre conseguem ter parâmetros para identificar se um determinado site é lento ou rápido ou ainda se ‘a culpa é da internet’. Consequentemente, também não vão saber por onde começar a qualificar o tempo de carregamento do site.

Por que meu site tem que ser rápido? Por que devo me importar com isto?

A maior parte dos internautas abandona a visita a uma página se ela levar mais que quatro segundos para carregar. Além disto, quando seu site é lento, o visitante passa menos tempo navegando por ele.

Seu site deve ser carregado no menor tempo possível para otimizar a oportunidade de apresentação de seu produto ou conteúdo a todo visitante que acessá-lo. Se levarmos em consideração os visitantes via dispositivos móveis, que hoje ultrapassam 50% dos internautas na maior parte dos segmentos, temos mais ainda com o que nos preocupar. Nem todo usuário usa 4G, e nem sempre o 4G alcança a velocidade que a tecnologia permite de fato.

Mais importante que o tempo total de carregamento é a sensação de rápido carregamento que o visitante tem ao acessar as páginas do seu site. Isto pode ser alcançado dando prioridade de carregamento ao conteúdo visível.

Nem sempre é possível ter um site com carregamento total de três segundos em todos os segmentos. Portanto, se a parte visível estiver com tempo de carregamento abaixo de 4 segundos, esta pode ser a solução para determinados projetos que exigem mais recursos. Ou, ainda, como estratégia para melhorar um site existente, caso não haja recursos para começar um novo projeto. 

Se você está iniciando seu projeto de site agora, estabeleça como parâmetro principal que ele seja rápido e muito bem resolvido em telas de celular, ou seja, que seja responsivo e que todos os recursos tenham boa visualização em telas pequenas. Para isto é necessário que ouça as indicações do profissional responsável quanto ao uso de recursos que possam deixar seu site lento e com o prazo necessário para o projeto. Veja alguns deles:

– Vídeos do Youtube: estes vídeos carregam várias bibliotecas e arquivos de imagem para compor o player. Então, evite sempre que puder e use apenas quando for realmente necessário para seu objetivo, principalmente se estiver na página inicial do seu site.

– Mapa do Google: este recurso também traz uma série de scripts e bibliotecas que aumentam o número total de requisições no seu site.

– Utilizar várias bibliotecas que executam o mesmo serviço ou função similar, como Google Analytics, Alexa, Crazy Egg, Piwik e outros, colocando o código de todos eles diretamente no site e, principalmente, sem objetivo específico para isto.

– Ter uma página inicial muito longa: quanto maior sua página inicial, maior será o tamanho do HTML a ser processado e entregue ao visitante. Isto quer dizer, geralmente, que você tem uma página com muitas requisições e, muitas vezes, lenta.

– Um grande número de imagens compondo o visual da página quando apenas CSS poderia ser utilizado.

– Muitas imagens sendo carregadas ou imagens sem nenhuma otimização. É necessário redimensionar as imagens para o tamanho utilizado e otimizar o peso delas para o menor possível (https://tinypng.com).

– Um grande número de recursos externos, sob os quais não temos controle, sendo carregados.

– Plugin de compartilhamento em redes sociais: alguns aumentam muito o número de requisições e o tempo total de carregamento da página.

Ainda hoje encontro sites com imagens de 6MB na página inicial. Em relação à época dos banners em flash, me lembro de uma animação que tinha quase 50MB no site de um cliente abaixo da logo. Nesta mesma época, a maior parte dos usuários ainda tinha internet de 1MB. Já dá pra imaginar o pesadelo de uma página assim.

Quer um exemplo prático de como estas dicas podem ajudar seu site?

Nesta semana reduzi de 14 para cinco segundos o tempo de carregamento completo de um site apenas removendo um player do Youtube que não precisava estar na página inicial e um mapa do Google que poderia ser movido para a página de contato.

E como eu verifico se meu site está com bom desempenho ou em quê pode melhorar?

Você pode fazer o diagnóstico com várias ferramentas e depois passar os testes executados para o profissional responsável pelo projeto. Eu indico duas principais que me auxiliam a identificar problemas mais rapidamente. A primeira é o https://gtmetrix.com e a segunda é o https://webpagetest.org. Você pode colar a URL do seu site no campo indicado em cada uma delas e fazer o teste.

As informações são técnicas, mas ao utilizar o GT Metrix fique de olho no tempo de carregamento e número de requisições. Se estiverem acima de seis segundos e 100 requisições, deve ser possível, e necessário, melhorar alguns aspectos.

Já no https://webpagetest.org fique de olho, em primeiro lugar, se as classificações do lado direito estiverem com letras abaixo de B.

Qualquer site precisa ter, sobretudo, informações e recursos relevantes ao visitante. Nem sempre dá para abrir mão de uma ferramenta que pode carregar recursos externos, mas gerencia seus leads, como chats, ou trazem receita a sua empresa, como banners publicitários e Adsense.

  • Ver +

Atua no digital desde 2009. Trabalha principalmente com desenvolvimento de sites e SEO.
Líder de Programação e Tecnologia no LadiesOn.
Membro do SMXP.
Diretora do Mulheres na Tecnologia.
Apaixonada por Café e Escaladora.

Comentários