Em 2012, o Itaú transformou um viral do bebê gargalhando ao ver papel sendo rasgado, em campanha pela substituição dos extratos físicos pela versão digital.

Divertido e leve, o comercial levou o banco à liderança isolada na pesquisa Lembrança de Marcas na Propaganda de TV, realizada pelo DataFolha e publicada pela Revista Meio & Mensagem naquele ano.

Um em cada cinco paulistanos apontou o filme como preferido e mais lembrando naquele período. Mas o que um bebê tem a ver com um banco? Como um vídeo caseiro poderia ultrapassar super produções publicitárias e levar a marca para o Top Of Mind?

De acordo com uma pesquisa da Universidade Duke, em 2008, não nos sentimos apenas atraídos por pessoas que sorriem, mas também tendemos  a lembrar do nome delas. Os resultados revelaram que a região do cérebro associada ao processamento de recompensas ficava mais ativa quando os participantes estavam aprendendo e rememorando os nomes dos indivíduos sorridentes.

Ou seja, a alegria e felicidade é um fator fundamental nas decisões de compra. Associar imagens felizes em anúncios não é uma estratégia inovadora, mas é o clichê que funciona. E isso, pelo simples fato da atuação dos neurônios-espelho.

Neurônios-espelho são neurônios que se ativam quando uma ação está sedo realizada e quando a mesma ação está sendo observada. Em suma, se observamos alguém fazendo algo (ou se lemos a respeito) acabamos fazendo a mesma coisa – em nossa mente. Se você me visse bocejando, seus neurônios-espelho se ativariam e você automaticamente sentiria a vontade de bocejar.

Esse conceito de imitação é um fator importante na nossa motivação para comprar o que compramos. E isso é muito mais poderoso que nós, profissionais de marketing, podemos imaginar. Os neurônios-espelho podem guiar totalmente a lógica do consumo. Então, atue com moderação e responsabilidade ao criar anúncios com pessoas felizes. Assistir uma pessoa se divertir proporciona quase tanto prazer quanto realizar aquela ação.

  • Ver +
Publicitária e Jornalista, com MBA em Marketing pela USP é sócia-diretora da Agência Comuni-k.
Digital Planner e Atendimento Publicitário é apaixonada por estratégia e apesar de ser mergulhada no mundo virtual, sempre carrega um livro real por onde vá.
Fã de Business Intelligence está sempre em busca de aprender, relacionar-se e superar-se.

Comentários