Escolha uma Página
Dia do Consumidor: é apenas mais uma data comemorativa?

Dia do Consumidor: é apenas mais uma data comemorativa?

Usar o Dia do Consumidor em sua estratégia de marketing pode aumentar as vendas do seu negócio

O Dia Mundial do Consumidor é comemorado dia 15 de março. A data foi instituída no ano de 1962, pelo presidente dos Estados Unidos John Kennedy, como uma forma de dar proteção aos interesses dos consumidores americanos.

O presidente norte-americano ofereceu quatro direitos fundamentais aos consumidores:

  1. Direito à segurança
  2. Direito à informação
  3. Direito à escolha
  4. Direito à ser ouvido

No Brasil, os direitos do consumidor foram protegidos através da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, que entrou em vigor apenas em 11 de março do ano seguinte (1991). Em 2019, o dia foi comemorado hoje, dia 13 de março (quarta-feira), por ser uma data melhor comercialmente.

E, como tudo no Brasil, algumas mudanças são feitas trazendo para nossa realidade. Esse ano, ao invés de ser comemorado com promoções e/ou brindes apenas em um dia, ela está sendo prolongada por muitas lojas e e-commerces durante toda a semana e até durante o mês.

Esta data tem crescido bastante e por muitos já é chamada de “Black Friday do primeiro semestre”, segundo uma Pesquisa de Intenção de Compra publicada pelo Social Miner.

Incluir essa data comemorativa e outras importantes que estão por vir em seu calendário de planejamento pode ajudar e muito a aumentar as vendas de um negócio.

 

Planejar para agir estrategicamente

O planejamento antecipado garante uma maior eficácia da sua estratégia de divulgação e o cliente esteja preparado para essa ação. Seja com estoque, custos internos para oferecer descontos ou produção de brindes.

Por isso, é fundamental entender o negócio do seu cliente para poder mostrar a importância de cada data comemorativa e como ela pode impactar o negócio dele.

Mas, na vida real, nem tudo são flores. Você acompanhou as tendências de consumo do Google, estruturou a campanha do seu cliente e o imprevisto acontece!

Hoje mesmo, o Facebook, Whatsapp e Instagram tiveram uma instabilidade fora do comum para muitos usuários. O que levou muitos profissionais da área a mudar o foco do anúncio ou forma de entrega da campanha para que a mesma não se perdesse.

Lamentar, ou culpar esse imprevisto não vai mudar o fato ocorrido, vida que segue. Pensar à frente do que pode ser feito nos ajuda a tirar insights e formas de divulgação de acordo com a realidade do cliente.

Agora é hora de pensar nas próximas campanhas como a Páscoa, Dia das Mães , Dia dos Namorados e assim por diante. Porque o tempo não pára, mas podemos de alguma forma ter um pouco de controle pelas datas sazonais, do que pode ser planejado e executado.

 

Vantagens e desvantagens de ter a mesma pessoa como Planejamento e Atendimento

Vantagens e desvantagens de ter a mesma pessoa como Planejamento e Atendimento

Temos visto uma ascendente, no mercado de comunicação, de pessoas ocupando tanto o cargo de Planejamento quanto o de Atendimento ao mesmo tempo. E, apesar de não ser ideal, é algo que tem se tornado comum. Por isso, resolvemos mostrar os prós e contras dessa situação e em quais circunstâncias ela pode ser aplicada sem muitos problemas. Vale ler as vantagens e desvantagens de ter a mesma pessoa como Planejamento e Atendimento para decidir o que fazer na sua empresa.

Qual é o papel do Planejamento?

O planejamento é a pessoa responsável por pensar na estratégia de comunicação e marketing do cliente. Ele se atualiza constantemente sobre tendências de mercado e acompanha as novidades. Também é ele que entende a fundo os objetivos do cliente e define como e por quais meios eles serão alcançados.

Esse é um processo constante e mutável, uma vez que a análise dos resultados e as oportunidades que surgem criam alterações no plano. Para a criação do planejamento é levado em consideração o briefing feito pelo Atendimento no início da relação com o cliente.

Quem ocupa esse cargo costuma ser ávido por novidades e ter uma necessidade de entender o comportamento das pessoas. Também gosta de descobrir o porquê das coisas. Além disso, gostam muito mais de estudar e pesquisar do que de interagir com os outros.

Qual é o papel do Atendimento?

O atendimento é o ponto de contato entre a equipe de comunicação e o cliente. Ele pega as informações para o briefing, aprova as ideias e peças com o cliente, e repassa as informações para o restante da equipe. Essa pessoa precisa ter bom relacionamento, uma vez que interage com toda a equipe e com diferentes tipos de clientes.

Normalmente são bem sociáveis e gostam de estar entre outras pessoas e conhecê-las. Também têm muita paciência, pois ficam no meio da “briga” entre criação e cliente. Eles são os responsáveis por fazer a voz do cliente ser ouvida pela criação e por defender a equipe e a estratégia perante o cliente.

Vantagens de ter a mesma pessoa como Planejamento e Atendimento

Quando você tem a mesma pessoa nas duas funções diminui drasticamente a quantidade de “telefone sem fio”. Isso acontece porque quem tem o contato com o cliente e delega é a mesma que planeja. Dessa forma, é mais fácil dizer de imediato se tal sugestão é possível ou não, além de conseguir defender o planejamento com mais embasamento.

Essa situação diminui o tempo entre solicitação e resposta, mas também só é possível se forem poucos clientes. Uma vez que ambas as funções tomam muito tempo e pedem dedicação e atenção.

Desvantagens de ter a mesma pessoa como Planejamento e Atendimento

Como já foi dito, ambas as funções tomam muito tempo do colaborador, então ele pode deixar a desejar em uma delas. E não será necessariamente por não saber fazer, mas sim por não ter tempo para executar ambas com a qualidade que precisaria.

Muitas vezes temos clientes que demandam muito tempo de atendimento e o planejamento também precisa de alguns dias para pesquisar, analisar e criar uma estratégia. Essa é a principal desvantagem. As inúmeras pausas no planejamento para realizar atendimento podem atrapalhar o andamento do trabalho e desgastar o profissional.

Outro ponto são as skills necessárias para cada função. Um atendimento pode não ter todas as habilidades necessárias para ser planejamento e vice-versa. Por isso, caso opte por essa estrutura, vale prestar atenção nos skills do candidato para não causar um estresse e dificultar o processo.

Caso opte por ter a mesma pessoa nas duas funções, também é importante delimitar horários do dia para atendimento e as formas de contato. Isso evita que, durante o planejamento, tenha que parar para responder um email ou um telefonema. Assim você consegue maior produtividade. Mas precisa estar alinhado com a equipe interna e com os clientes.

Com isso, percebemos que essa situação depende da estrutura da empresa. É importante perceber qual opção (ter essas funções separadas ou não) funciona melhor para a sua empresa e pesar os prós e contras. Se tiver poucos clientes é possível ter um planejamento que também execute o atendimento. Se for uma empresa com mais clientes, é melhor separar as funções ou ter mais de um profissional “2 em 1”, com um número limite de conta para cada um.

Também vale ressaltar a parte do salário. Se ele for executar as duas funções, precisa receber para tal. Afinal, como já frisamos tantas vezes no texto, ambas exigem dedicação e tempo do colaborador.

O planejamento como chave e como isca

O planejamento como chave e como isca

Hey, profissional de marketing digital, você provavelmente já ouviu a máxima do “quando não se sabe aonde ir, qualquer lugar serve”, certo? Ao contrário de outras frases feitas que às vezes são apenas papo pra boi dormir, essa é uma verdade.

Mas a importância do planejamento da comunicação como um todo vai além de apenas traçar objetivos bem delimitados e metas para alcançá-los. É bem verdade que ele é a chave para qualquer estratégia bem sucedida, mas nele reside um poder que muitos ainda desconhecem: eles são uma forte isca para conquistar clientes. E falo em conquistar clientes para você mesmo, não os clientes dos seus clientes.

Há algum tempo tenho sido chamada para ministrar alguns workshops e palestras sobre a arte de planejar para as mídias sociais e, em algumas, eu me deparava com empreendedores na plateia, sedentos por desvendar todos os nossos “truques” para que pudessem eles mesmos gerenciarem as mídias de suas marcas. Agora é a hora em que alguns de vocês já devem estar pensando “É, que saco! Esse povo que não quer nos contratar e fica achando que pode fazer sozinho”. Se você foi uma dessas pessoas, tenho uma coisa para lhe dizer: ao invés de ficar apenas lamuriando que hoje em dia todo mundo se acha social media, foque em mostrar por que o empreendedor não deveria se arriscar a fazer sozinho e te contratar.

Como? O que difere um social media de verdade das pessoas que não estudaram para isso é saber desenvolver um planejamento estratégico. Não raras vezes, eu fui abordada após as palestras com alguém dizendo: “Nossa, mas eu não sabia que tinha que pensar em tanta coisa antes de começar a fazer um post, dá muito trabalho, vou até contratar alguém”. Repare que quando o cliente entende o verdadeiro valor do nosso trabalho, ele se dispõe a pagar porque ele sabe que não terá nem conhecimento e nem tempo para executar um serviço efetivo.

Por isso, invista em aprimorar suas habilidades de planejamento e, mais que isso, em mostrá-las!

 

 

 

Planejamento tem cura?

Planejamento tem cura?

Quando nos acostumamos a lidar com um volume grande de informações, o processo natural nos leva ao planejamento. A mente humana é falha. É normal esquecermos de coisas que certamente seriam importantes e relevantes para executarmos a tarefa que precisamos executar e eliminar aquela grande chance de ‘dar merda’, que nos acompanha a todo momento.

Iniciei minha carreira em uma área que, naquele momento, não tinha tanta relação com o marketing digital. Era produtora executiva de uma banda, e detalhes como shows, eventos, gravações de cd’s e dvd’s, turnês internacionais e afins, sempre fizeram parte de maneira muito próxima da minha realidade. Dos localizadores das passagens, ao despacho de equipamentos, aos detalhes de contrato dos envolvidos em turnês, se não houvesse o planejamento em minha vida, certamente tudo teria sido mais difícil.

No momento em que deixei de atuar como profissional de eventos e voltei a dar atenção a minha área de formação, vi que havia muito mais semelhanças que diferenças. O planejamento é essencial a comunicação, principalmente àqueles que, como eu, criam conteúdo. A disciplina que precisa existir para que o conteúdo criado seja clicável e compartilhável é fundamental para que nós evitemos a repetição, principalmente quando atendemos mais de um cliente ao mesmo tempo – o que, vamos combinar, é a realidade né?

Como todo processo em comunicação, temos as etapas básicas que são comuns a todas as contas, como a definição de objetivos e determinar o público alvo, por exemplo. Considero estas duas etapas como as mais importantes no processo de planejamento. E, não se assustem, os clientes muitas vezes não tem a menor ideia dos objetivos das campanhas e, por vezes, não conhecem o público alvo. É incontável o número de vezes que tive que repetir o mantra “não pense na rede social como você quer ver, e sim como o seu público”. Não importa o que eu gosto de ver, importa o que o usuário vai ver. Você ainda pode definir diferentes comunicações para vários tipos de usuário, como o influenciador ou consumidor final, ainda assim, a comunicação tem que ser pensada para cada público em específico.

Depois disto, você vai definir onde publicar – até porque o conteúdo é específico para cada rede – e, a partir daí, pensar no conteúdo. Óbvio que existem outras etapas, que diferem entre cada profissional. Na minha vida, de atender diversas contas, algumas delas com uma demanda muito alta de publicações em várias redes, eu preciso ser um pouco ágil nesse processo. Na “vida real” em um ambiente de agência, você não terá chance de realizar um brainstorming cada vez que uma demanda chegar. É só você e você mesmo. E aquele ‘fura-pauta’ é a realidade nossa de cada dia, lamento informar.

Minha dica é: use e abuse dos recursos disponíveis para facilitar este processo. Por muitas vezes o planejamento é anual e para que você consiga executar, precisa reduzir para planejamentos mensais e semanais. Então, planilhas, Trello, Evernote, Google Agenda, ferramentas para avaliar páginas e perfis existentes e tudo mais que esteja ao seu alcance, deve ser utilizado para que você tenha um planejamento macro bem feito. E, a dica principal: nem tudo é perfeito e os melhores planejamentos do mundo podem não sair do jeitinho que você pensou. Tenha isso em mente para ser flexível a possíveis mudanças.

Nesse mundão de tio Mark, tudo depende do bom humor dele, não é? #pas

 

 

Vídeo Tutorial Trello – Dicas e uso para um bom planejamento

Vídeo Tutorial Trello – Dicas e uso para um bom planejamento

Planejamento utilizando a Ferramenta Trello.

Vídeo tutorial Trello – Como usar essa ferramenta?
Saiba aqui. Além de dicas de uso no dia a dia, que podem contribuir com sua produtividade, planejamento e organização.
No trabalho em equipe ou freelancer.

Veja o vídeo completo abaixo:

O Trello pode ser usado de modo gratuito, eles também tem planos pagos, você pode ver mais aqui.

Depois desse vídeo tutorial Trello, se você ainda não usa, faça uma experiência! É uma ferramenta que muitos profissionais próximos já tinham falado, mas sempre fui adiando o teste ou uso frequente. Depois que comecei a usar, principalmente para o trabalho em equipes, ajudou na minha produtividade e organização e nos planejamentos.

O tema da semana é COMO PLANEJAR O PLANEJAMENTO, parece óbvio, mas não é tão simples na prática.

Quando você começa um planejamento vão surgindo muitas questões. E não colocar no papel ou em alguma ferramenta o seu planejamento, ideias, insights, pode torná-lo um eterno planejamento e o processo de colocar em prática o que foi planejado pode ser um fracasso.

Utilizar muitas ferramentas para planejar para alguns também pode ser penoso, desafiador e até não dar certo por vários motivos.

Eu prefiro usar 3 ferramentas basicamente quando inicio o processo de planejar o planejamento.

O Trello, a Operand e Google Calendar

Existem diversas ferramentas que fazem os mesmo que eles, e até mais que eles. Ferramentas são bem particulares e dependem de sua forma de trabalhar. Nesse post vou falar um pouco dessas três que são as que uso na minha rotina.

Trello

O Trello como mostrei no vídeo, tem a possibilidade de você usar em uma única ferramenta, organizações suas, particulares e também em equipe. Isso me ajuda bastante na produtividade. Primeiro, porque em um único local, posso ver os projetos separadamente mesmo que tenham alguns quadros em equipe.

Além disso, as notificações são bem úteis porque chegam por e-mail. Isso ajuda também  a encurtar uma conversa no Whatsapp ou Messenger, afinal, o que a gente menos tem nos dias de hoje é tempo.

Os avisos de datas de entrega também chegam por e-mail, além de poder integrar com o calendário do Google. Isso também é um ponto forte para praticidade.

Fora isso, o Trello, tem outras muitas integrações, que não utilizo, mas que pra você que está vendo esse post pode ser útil 🙂

Outra função do Trello, que gosto bastante é poder personalizar cada quadro com cores ou fundo de tela. Visualmente ele fica mais fácil, limpo e facilita a visualização de tarefas e projetos.

Outro ponto positivo, é poder fechar e arquivar cartões e/ou quadros ficando tudo organizado visualmente. Além da felicidade que todo profissional sabe que é a entrega do projeto. Ajudando a nos sentir confiante e realizada na conclusão de prazos e entregas.

Operand

A outra ferramenta que mencionei foi a Operand, ela é paga, um pouco mais completa que o Trello. Pode ser para trabalho individual e também em grupo, veja valores aqui.

Além da parte organizacional e planejamento, a Operand tem funções como: envio de propostas, financeiro, lista de clientes. A Operand tem mais funções operacionais para melhor organização de sua empresa. Se tiverem interesse, podemos depois fazer um vídeo dela também.

O importante é escolher a(s) ferramenta(s) que você se sinta confortável de usar e que te ajude no seu planejamento diário, semanal e de projetos.

Conta pra gente que ferramentas você vem utilizando 🙂

 

Aprendi muito sobre planejamento estratégico fazendo mochilão

Aprendi muito sobre planejamento estratégico fazendo mochilão

Em 2015, eu resolvi fazer o meu primeiro mochilão pela América do Sul. Quando tomei essa decisão, eu não tinha a menor ideia de como começar o planejamento. Como criar um roteiro ou calcular gastos com tantas moedas diferentes, lidando com câmbio. Só sabia que iria viajar durante 22 dias pelo Peru, Chile e Bolívia.

Como o tempo seria curto em cada lugar, queria aproveitar ao máximo e da melhor maneira possível. Pesquisei muito e organizei tudo previamente. Criei um roteiro geral e um para cada lugar. Sabia os locais que iria visitar, os melhores trajetos, quais transportes poderia usar para me locomover de um lugar a outro. Além disso, coloquei tudo numa planilha para saber exatamente quanto e em que estava gastando.

Durante o mochilão passei por lugares incríveis como o Salar de Uyuni, Machu Picchu, Deserto do Atacama e a Estrada da Morte. Passei por perrengues e conheci pessoas de culturas completamente diferentes. Viajar te “obriga” a entrar em contato com você mesmo, rever valores, ideias e, até mesmo, descobrir preconceitos que você sequer sabia que tinha.

Foram 3 países, 16 cidades, muita aventura e história para contar! Eu aprendi muito sobre o mundo e sobre culturas, mas também sobre mim, organização e planejamento.

Eu consegui economizar tempo, dinheiro e aproveitar todos os lugares que passei. Todos os gastos estavam dentro do programado e eu estava segura de cada detalhe. Sem dúvidas, foi uma viagem perfeita e o grande diferencial não foi o que eu fiz durante o passeio e sim o que fiz antes de sair de casa: planejei, e MUITO, cada detalhe.

Tanto na vida, quanto nos negócios, a gente deve pesquisar e planejar estrategicamente cada passo. Afinal, planejar é organizar para que as ações saiam exatamente como a gente espera em determinado tempo e com o investimento que se pode ou quer fazer.

O primeiro passo para poder planejar estrategicamente é entender onde a empresa quer chegar. Um gato debochado do clássico desenho “Alice no País das Maravilhas” me ensinou que quando a gente não sabe para aonde vai, qualquer caminho serve. Essa máxima também se aplica aos negócios, quando não se sabe qual resultado esperar, qualquer resultado apresentado, serve.

Dessa forma, diferente da Alice que não sabia para onde ir, só é possível planejar para atender as expectativas do cliente ou do seu próprio negócio quando se está claro aonde a empresa quer (e pode) chegar.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com