Por aqui quem manda são as mulheres

Por aqui quem manda são as mulheres

É cada vez mais comum encontrar uma liderança feminina. Gerência, diretoria, presidência. Pensando sobre o que escrever para um dia tão especial, voltei às lembranças do meu cotidiano: mulher, esposa, mãe, líder.

Tantas funções e tanta batalha para ser reconhecida no mercado de trabalho. Deixamos nossos filhos em casa cuidados por outra pessoa ou temos que buscar e levar os filhos na escola. Enfrentamos a sociedade pra trabalhar fora de casa, passar por piadinhas ou suportar muitos chefes e colegas de trabalho com desrespeito. E ao chegar em casa ainda termos que preparar o jantar, lavar, passar, limpar a casa, cuidar de filhos, dar atenção ao parceiro(a).

É tanta luta, tanto obstáculo que temos que enfrentar para termos a liderança feminina reconhecida, para sermos respeitadas.

Mas acredito que toda essa multiplicidade de funções faz com que uma empresa liderada por uma mulher seja mais humana. Porque possui uma gestão que envolve mais a emoção, o lado maternal em relação a cuidar da equipe, a entender os problemas e as dificuldades. Afinal, desenvolvemos a capacidade da pluralidade e isso nos faz ter tato para conversar e resolver várias questões ao mesmo tempo. A mulher possui uma visão multifacetada, que além de se dedicar ao máximo, tem todo um cuidado em tudo que faz se envolvendo mais.

Por aqui, quem manda são as mulheres! Na minha empresa dou preferência pela liderança feminina. Nossa diretora de criação é mulher. A responsável pelo departamento digital é mulher. A responsável pelo departamento financeiro é mulher.

No início, durante as entrevistas, explicava que não aceitava desrespeito ou intolerância. A palavra da líder era a lei. Com o tempo consegui uma equipe muito unida, parceira e cheia de harmonia.

Hoje, não preciso mais me preocupar. Toda a equipe pensa mesma forma, se respeitam muito e se entra alguém que não se enquadra na nossa forma de pensar, ou tratar as mulheres da nossa equipe, a própria equipe já repele essa pessoa, ela não se encaixa e com o tempo pede pra sair ou é demitida.

Meu texto foi uma forma de incentivar por mais mulheres em cargos de liderança, com certeza teremos um mercado de trabalho muito melhor. Feliz dia das mulheres!

Ferramentas online para gestão de uma empresa.

Ferramentas online para gestão de uma empresa.

Quando falamos em gestão online, já pensamos em ferramentas online, que podem ajudar nos processos infinitos que a gestão de uma empresa necessita.

Se você trabalha com uma equipe pequena ou mesmo sozinha essas ferramentas podem sim mudar sua rotina e ajudar na sua produtividade.

Além de ajudar é claro, empresas com um time de equipe grande e gigantesca, tudo vai depender do que você precisa.

Antes de colocar a ferramenta para gerir seu negócio, o ideal é testar, e ver qual se encaixa a suas necessidades e demandas e ter em mente, porque vai usá-la(s).

As ferramentas disponíveis no mercado são inúmeras, e contratá-las por contratar não vai ajudar em nada sua empresa.

Eu demorei bastante para encontrar algumas que se encaixavam em minha necessidade, e sempre tento testar algumas novas antes de usá-las no dia a dia, mesmo trabalhando com um equipe de dois 🙂

Porque o que pode acontecer e já passei por isso é, ficar mudando e testando e no final atrapalhar na produtividade mais do ajudar.

Pense na ferramenta como um auxílio e ajuda para otimização de tempo independente do tamanho de seu negócio.

Se ela é fácil de ser aprendida e ensinada, se traz os benefícios que procura, pode ser interessante testá-la e depois usá-la com mais pessoas.

Algumas no mercado que já testei, usei ou não, mas que pode servir para a demanda de sua empresa são:

Operand

Alguns pontos positivos :

– valor acessível para pequenos negócios;

– comunicação interna, fácil entre equipe;

– criação de propostas via pdf;

– relatórios financeiro e produtividade de equipe ( cronômetro de tempo de jobs);

– espaço para pautas e jobs;

– parte financeira;

– fácil e layout minimalista;

– lista de clientes;

– gerenciar usuários com permissões diferenciadas e criação de equipes dentro da plataforma;

Contras ( por usar vou colocar minha impressão):

-Falta de integração com Google Calendário;

– Falta de calculadora na ferramenta ( apesar de ter campos na proposta que podem ser pré-configurados com taxas, impostos, comissões etc)

-Mudou recentemente o visual, me deixou um pouco perdida, é o lado ruim em qualquer plataforma ou processos que estamos acostumados, mas precisamos nos adaptar. 🙂

Trello

Fiz um vídeo aqui falando sobre ela e mostrando por dentro.

Feedz

É uma ferramenta mais voltada para gestão de pessoas, motivacional e de engajamento.

Criada pelo Gabriel Leite e sua equipe, ele foi super solícito para demonstrar e também deixá-la testá-la. Achei o layout muito bom e de fácil aprendizado, o conceito de tornar o relacionamento da(s) equipe(s) mais humano e mais próximo é algo bastante interessante, principalmente para equipes remotas ou em grande escala.

Acredito que para o gestor possa ajudar na parte motivacional e humana pois trabalhar e lidar com várias pessoas é algo que requer muito tempo, empenho e perseverança por parte de gestores.

Se a equipe já está habituada ao trabalho online acredito que seja mais fácil de incorporar o uso da ferramenta no dia a dia.

Vale a pena testar. 🙂

Calendário Google

Você consegue sincronizar com algumas ferramentas disponíveis no mercado, como por exemplo Trello.

Além de poder criar uma agenda compartilhada com sua equipe, e avisos de reuniões com seu gmail também.

Pelo celular também é possível usar e sincronizar com Google Keep.

 

Formulário do Google, Apresentação e outros produtos Google

Essas ferramentas gratuitas do Google, ajudam e auxiliam muito na produtividade no trabalho em equipes, principalmente remotas.

Podem ser editadas em tempo real, além de ser fácil de usar para incorporar formulários em sites, e receber as notificações de resposta pelo gmail.

Essas são algumas mas há muito mais nesse vasto mundo online.

E você qual(is) utiliza? Conta pra gente 🙂

 

Empatia é a alma do negócio

Empatia é a alma do negócio

São 07:53am, estou sentada na frente do notebook, ouvindo The Cranberries para dar “aquela” inspirada no criativo, sim eu tenho extrema empatia por músicas que não são da minha geração. E na minha mente não param de passar as perguntas: POR QUE NÃO CONVERTE? POR QUE NÃO GERA VENDA? POR QUE NÃO FECHA O FUNIL?

Comecei a analisar meu próprio processo de compra:
Quando e o que comprei pela última vez online?
Fui bem atendida? Tive meu desejo realizado?
Fui bem recebida pela galera do SAC?

Desejo ir muito além de taxas de conversão, cores, adwords e pixels! Existe algo mais profundo do que isso, a dona empatia. A querida que torna nossas relações mais amigáveis e auxilia o fechamento do funil de vendas. Ela faz nosso cliente falar bem de nosso atendimento e recomendar a outros possíveis clientes. Ela faz o cliente marcar nosso nome em redes sociais.

Mas, Juliana como isso é possível? Só empatia vai vender meu produto?
Aí eu te pergunto: Você acha que SÓ botões verdes, azuis, amarelos, CTA’S mirabolantes e um design clean vão fechar a sua venda?
Sendo que seu cliente envia um e-mail para a empresa, ou até liga para o SAC, e acaba sendo mal atendido? Não recebe orientação correta? Não resolve a sua dor?


Vivemos em um mundo cada vez mais automatizado e esquecemos que clientes são pessoas. Não, eles não são chatos pois deles vem o seu sustento! E sim, você é um prestador de serviço.  Por favor, aceite isso, fica mais fácil para trabalhar. Os clientes não estão ali para te servir, estão ali para se deleitarem com o que você faz sejam artes, textos, vídeos, etc.

As principais falhas que eu enxergo em um creator são basicamente não pensar com empatia nestas perguntas ao produzir seu conteúdo:

▪ Estou sendo pessoal?

▪ Essa mensagem é para mim?

▪ Gostaria de receber este produto?

▪ Me interesso pelo que estou lendo?

Em nenhum momento estou extinguindo a importância de um bom CTA, uma campanha bem estruturada, um layout limpo e de fácil navegação do seu site. Neste link da RD tem dicas bem legais. Mas estou chamando você a analisar profundamente em como você apresenta seu produto no mercado e como atende seu cliente online e offiline.

Reitero que conseguir a confiança de alguém é algo extremamente difícil, ainda mais em tempos de tecnologias que os clientes não veem seus produtos ali, na hora. É um conjunto de fatores que fecham a sua venda, entre eles está a Empatia.

Precisamos unir as ferramentas de rankeamento, um site bonito, um call to action legal e, também, a empatia na hora de atender o cliente. Vejo muitas empresas que possuem um layout lindo, perfeito, mas na hora de atender demoram semanas para responder um e-mail (quando quer respondem) ou pior, mandam muitas mensagens automatizadas sem o menor fundamento. 

Empatia está à frente das relações interpessoais, então na hora de montar todo seus planejamento de venda lembre-se que do outro lado da tela existe um humano. E humanos AINDA são humanos.

 

AUTORA: JULIANA NEVES

Como usar a Matriz de Eisenhower para melhorar a organização e produtividade

Como usar a Matriz de Eisenhower para melhorar a organização e produtividade

Metodologia organiza as demandas em prioridades de forma fácil e visual

É muito comum ver profissionais de marketing, especialmente gestores e freelancers, sofrendo para organizar as demandas do dia a dia. Solicitações de clientes que surgem de última hora, dúvidas da equipe, propostas para fechar, projetos paralelos para tocar, cursos e eventos para aprimoramento… Nossa! É muita coisa para organizar e muitas vezes a mais organizada das pessoas fica perdida no meio de tantas demandas e se vê num ciclo constante de apagar incêndios. Quem nunca?

Para começar, não se assuste com o nome difícil. Eisenhower, general do Exército e, posteriormente, presidente dos Estados Unidos criou a DARPA, a agência de pesquisas que criou a internet. Só por esse breve resumo você já pode perceber que tempo para Eisenhower era extremamente valioso e escasso.

Diz a lenda que ele elaborou toda a estratégia que levou os aliados à vitória em uma tarde utilizando esta matriz, organizada em uma única folha.

O mais interessante dessa matriz é que ela é simples. Divide todas as suas demandas em quatro tipos. E partir desses tipos você consegue ter uma assertividade maior com relação às decisões que toma a respeito de cada uma, da seguinte forma:

Quadrante 1: Urgente e importante Quadrante 2: Importante e não urgente Quadrante 3: Urgente e não importante Quadrante 4: Não urgente e não importante

 

O pulo da gata

Existem diversas metodologias de organização e gestão de tarefas. A Matriz de Eisenhower é apenas uma delas. O fato é que a matriz é muito pessoal e coisas que são urgentes para você podem não ser para o outro. Esse é um dos motivos pelos quais eu recomendo esse modelo especialmente para quem trabalha só, a famosa eugência, ou para líderes de times pequenos, habituados a trabalhar com comandos de prioridade e autogestão de tempo.

Como toda metodologia, é importante que você adapte para a sua realidade. As minhas demandas como gestora e atendimento são diferentes das demandas de uma produtora de conteúdo ou de uma analista de performance.

Considerando isso, eu adaptei a matriz para a minha realidade usando uma coisa que eu adoro: post-its coloridos.

Matriz-de-Eisenhower-organizacao-produtividade

Toda manhã, eu primeiro organizo todas as demandas em uma lista única no trello e depois faço as seguintes perguntas:

– É preciso resolver isso agora/hoje?

– Eu sou a pessoa que precisa resolver?

– Vai levar mais de 10 minutos para fazer?

– Vai gerar novas demandas?

A partir dessas quatro perguntas consigo definir qual será a cor do post-it.

Rosa: Tarefas cuja a resposta foi SIM para as perguntas 1 e 2 e NÃO para a pergunta 3.

Verde: Tarefas cuja a resposta foi SIM para as perguntas 2 e 3 e NÃO para a pergunta 1.

Amarelo: Tarefas cuja a resposta foi SIM para a pergunta 1 e NÃO para a pergunta 2.

Laranja: Tarefas cuja a resposta foi SIM para as perguntas 3 e 4 e NÃO para as perguntas 1 e 2.

Exemplos reais da minha rotina para te ajudar a entender:

ROSA = Eu preciso fazer e resolvo rápido.

Responder emails dos clientes das ações em andamento;

Validar uma proposta para um novo cliente;

VERDE = Eu preciso fazer, mas não vai ser rápido.

Organizar as demandas da equipe;

Fazer o planejamento da campanha do cliente;

Proposta para um possível novo contrato;

Escrever para o LadiesOn;

AMARELO = Eu posso pedir para outra pessoa fazer ou fazer depois, desde que seja ainda hoje.

Agendar o disparo do email marketing já revisado e aprovado;

Enviar a arte da criação já aprovada para o veículo;

LARANJA = Eu não preciso fazer ou o custo-benefício de fazer isso não vale a pena.

Responder o post daquele amigo chato com um textão no Facebook;

Instalar a atualização do sistema;

 

ATENTA

Não sei vocês, mas a primeira vez que eu vi essa matriz, ouvi anjos cantarem. Ao colocar a matriz em prática pela primeira vez eu percebi que estava usando como triagem de emergência e dedicando a maior parte do meu tempo para os quadrantes Urgente/Importante e Urgente/não importante e aposto que você também.

Eu estabeleci horários de começo e fim para atender cada uma das cores. É claro que não consigo respeitar isso na maioria das vezes, mas, tenho conseguido otimizar bastante o tempo investido nos post-its verdes que são os mais importantes!

É necessário que você tenha clareza para estabelecer quais são suas prioridades. E lembre-se que “prioridade” não significa “emergência”!

 

Marketing Pessoal

Marketing Pessoal

O Marketing Pessoal é uma ferramenta fundamental para qualquer profissional, pois é a forma como você promove a sua imagem, estando diretamente relacionado a sua reputação, em como você é visto pelas outras pessoas.

Sabe aquela conhecida frase “quem não é visto não é lembrado”? Ela é uma das principais máximas do Marketing Pessoal.

Ele trabalha a visibilidade com a construção da autoridade profissional, através da exposição da propriedade intelectual, auxiliando com que você se torne uma referência na área que atua, utilizando a comunicação adequada ao seu público.

Em um mundo cada vez mais digital, com a internet e redes sociais dominando nossos relacionamentos, a referência física não é o suficiente, precisamos nos inserir cada vez mais , como profissionais, no contexto online.

A sua imagem pode ser composta por um compêndio de itens, que vão desde roupas e comportamentos até atitudes nas redes sociais e discursos proferidos.

É importante, também, o cuidado para que que o posicionamento pessoal não caia equivocadamente no contexto da vaidade, sendo necessário que a autopromoção seja feita de maneira inteligente e responsável, para que a sua credibilidade como profissional seja percebida como valor.

O desejo de qualquer profissional é o reconhecimento, seja para evoluir na carreira, conquistar novas oportunidades, alcançar uma promoção, melhorar vendas ou serviços. Se você tem plena consciência do seu valor, tanto pessoal quanto profissional, e ele é mostrado às pessoas, seu leque de possibilidades aumenta junto à percepção do outro quanto às suas qualidades como profissional.

Algumas dicas práticas são:

– Autoconhecimento: conhecer-se e ter a humildade de aceitar o que precisa melhorar é essencial para se entender como profissional;

– Cuidado com a aparência: ela deve estar adequada ao seu contexto de trabalho. Isso não significa passar horas no salão de beleza, mas adequar-se às regras da empresa e trabalho que se propõe;

-Atualize seus conhecimentos sempre e saiba ouvir;

– Não tenha vergonha de se autopromover, mas tenha cuidado com atitudes arrogantes;

– Passe uma mensagem clara sobre você, o que você faz e como pode ser útil para os outros;

– Uma possibilidade de trabalho que auxilia na melhoria de competências pessoais, autoconhecimento e valorização de qualidades é o Coaching.

Faça bom uso das redes sociais. Elas são um espaço de infinitas possibilidades, que podem expandir contatos e trazer a referência de autoridade. Tome cuidado com todo o processo, construa sua imagem dia a dia e lembre-se: a sua reputação não pode ser comprada com post patrocinado.

Abaixo ao preconceito com a autoajuda: todo líder precisa de autoperdão

Abaixo ao preconceito com a autoajuda: todo líder precisa de autoperdão

Às vezes, me incomoda bastante a glamourização em torno do empreendedor, gestor ou líder em uma empresa, como se o status o tornasse imune aos erros. Se assim fosse, todas as organizações seriam bem sucedidas e poderíamos assumir uma identidade robótica, extraterrestre, sobrenatural, qualquer uma que não se identifique com a humana.

Há duas certezas na vida que nunca mudam: vamos morrer e vamos errar bastante até a morte. É bem verdade que a experiência vai nos dando subsídios para falhar menos, mas há sempre novos riscos e, com eles, novas quedas. A tal resiliência é companheira forte dos gestores. Mas há uma outra palavrinha chave nessa jornada: autoperdão.

Você não vai conseguir ser o melhor líder sempre; alguns colaboradores não vão te amar; pode ser que você invista tempo e/ou dinheiro em coisas e pessoas que não darão retorno algum; clientes vão embora em algum momento, mas outros vão chegar; você tem direito de se sentir cansado; você pode ser pessimista de vez em quando, mas não deveria alimentar isso nunca; você pode e deve tirar férias; você ficará sem criatividade em algum momento; há situações que trarão desespero mesmo para os mais experientes; o que os outros pensam é muito importante, mas nada vale mais que uma consciência tranquila; você corre um risco inevitável de ferir as pessoas, mesmo que você tenha extrema cautela, e será preciso ser humilde para reconhecer quando isso acontecer; você não é o pica das galáxias – ninguém é – por isso, tenha referências, inspirações, mas nunca se diminua comparando sua trajetória com a do outro, quase nunca as pessoas divulgam seus abismos, só os saltos.

Em sete anos empreendendo, posso fazer uma lista enorme de erros, desde uma planilha mal organizada com as folhas de pagamento até chorar três noites seguidas para conseguir demitir alguém. Certa vez, fiz uma palestra exatamente sobre isso, os percalços, e um dos presentes me disse que aquilo desmotivaria os que ainda desejam criar o próprio negócio. “Desculpe, se você não está preparado para lidar com esses tipos de problemas, abrir mão de certas coisas e errar, você não deveria mesmo pensar em gerenciar nada. O bom gestor ama o que faz, independente de todas as dificuldades que relatei” – respondi prontamente. Hoje, eu… daria a mesma resposta.

Todo empreendedor/gestor/líder lida com três variáveis extremamente difíceis e inconstantes: pessoas, dinheiro e expectativas. Acredite, ninguém tem uma fórmula mágica para isso, mas se você tiver a capacidade de olhar para os erros de forma mais terna, acolhê-los como aprendizado, sua gestão será mais humana e a colheita mais sábia. Vale a pena!