Conteúdo não é só post

Conteúdo não é só post

Esta publicação tem um principal objetivo: mostrar que o conteúdo vai muito além de uma simples postagem. Isso porque, o que você vê em blogs e mídias sociais é mais do que imagem e texto, envolve também: estratégias de branding, planejamento, mensuração de resultados, monitoramento, análise de concorrência, pesquisa de palavras-chave, objetivos de mercado, estudo profundo do público-alvo e muito mais.

Para explicar isso, vamos dividir o processo de criação de um conteúdo em quatro fases: planejamento, produção, operação e promoção. São essas fases que vão evitar falhas no processo de criação de conteúdo e te ajudar a ir além de simples posts no Facebook.

1 – Planejamento

Antes de mais nada, ao iniciar o planejamento da sua estratégia de conteúdo, você precisa ter em mente quais são os seus principais objetivos: alcançar mais tráfego, realizar mais vendas, gerar relacionamento, educar o cliente sobre o seu produto ou serviço, entre outros.

Além do objetivo, é preciso também conhecer o seu público-alvo e a sua persona: o que é importante para os meus leitores? Quem eles são? Que tipos de conteúdos eles gostariam de ler?

Esses dois passos são importantes para que você comece a construir um processo de confiança com quem acompanha o seu negócio. Tendo os dois itens acima em mente, já é possível começar a pensar em toda a jornada de compra do seu cliente, desde o momento em que ele te descobre até a compra ou contratação do que você oferece.

Após definir os objetivos de cada conteúdo que você irá gerar, quem é o seu cliente, a jornada de compra que ele segue, é hora de definir quais serão as palavras-chave da sua estratégia e também analisar os principais canais que estes conteúdos serão veiculados.

Agora é hora de fazer um brainstorming para definir os assuntos que serão abordados e as datas de cada um deles. Os conteúdos podem ser escritos falando sobre o seu serviço, sobre o seu produto, mas também de assuntos relacionados. Na etapa de brainstorming, considere todas as sugestões, mesmo que elas sejam extremamente malucas em um primeiro olhar. O planejamento editorial construído desta fase vai ajudar nas três outras que vocês vão saber a seguir.

Veja o post da Lady Anna Flávia Nascimento sobre planejamento conteúdo e saiba mais sobre esta etapa.

2 – Produção

É hora de colocar a mão na massa e começar a escrever. Com um calendário editorial pronto, você consegue dar start na produção dos conteúdos que você planejou além dos posts. Você pode criar uma infinidade de publicações. Seus conteúdos podem ser:

  • Vídeos;
  • E-books;
  • Editoriais fotográficos;
  • E-mails;
  • Webinários;
  • Infográficos;
  • Templates;

Esses são apenas alguns exemplos de conteúdo que você pode produzir para ir além de um simples post. Alguns deles inclusive, ajudam você a aumentar a sua base de leads. É por isso, que você deve ser útil para conquistar a confiança de sua persona. Quando você escreve sobre soluções para possíveis dores de alguém, o conteúdo que você fez ganha muito mais valor para o seu cliente.

Calma, sei que dei exemplos de tipos de conteúdo além do post, mas não falei sobre os assuntos que você pode abordar. Separei algumas dicas de conteúdos que você pode fazer para os seus clientes:

  • Cases: entreviste seus clientes, conte a história deles. Todo mundo gosta de ver casos reais de sucesso ou de garantia de solução. Isso traz credibilidade para o seu negócio. Este conteúdo pode ser um vídeo, um webinar ou até mesmo um simples e-mail.
  • Guias, manuais e tutoriais: um passo a passo completo de como usar a sua ferramenta ou o seu produto. Um guia para noivas, mães iniciantes, guia de presentes e por aí vaí. Já pensou como um passo a passo completo oferecendo uma solução pode ser um conteúdo incrível para seus clientes? Esses conteúdos podem infográficos, webinários, vídeos ou até mesmo editoriais fotográficos.
  • Soluções: planilhas, ferramentas, checklists podem fazer parte das soluções que você irá entregar para o seu público. Pode parecer para você, que este tipo de conteúdo não é muito agregador, mas saiba que estes templates e kits podem ajudar muitas pessoas, por isso não podem estar fora de suas estratégias de marketing.

Não se esqueça da importância das palavras-chaves nesta fase de produção de conteúdo.

3 – Operação

Você produziu todos estes conteúdos e agora é hora de colocá-los no ar. Como você irá veicular cada um deles? Em quais meios eles estarão disponíveis para o seu público?

Após essas definições e publicações, é hora de analisar os resultados. Esse acompanhamento, na fase de operação, é fundamental para entender que tipo de conteúdo vale a pena continuar sendo produzido e qual você não precisa mais produzir.

Analise e crie planos de ação para as melhorias no planejamento do próximo mês.

4 – Promoção

Nesta etapa de promoção é hora de começar a divulgar os conteúdos que você criou. Aqui, os posts em mídias sociais se tornam fundamentais para gerar relacionamento com os seus clientes e para que eles alcancem ainda mais pessoas.

É preciso estar presente em todas as mídias sociais. Na etapa de operação, verifique os melhores horários para as publicações. Publicações anunciadas nesses meios e também links patrocinados no Google são excelentes geradores de tráfego para o seu conteúdo.

E aí, preparado para criar conteúdos além dos simples posts? Ter uma estratégia de conteúdo alinhada com os interesses de seus clientes, certamente o ajudará a ter mais resultados!

Tem alguma sugestão de conteúdo além dos posts? Conte para a gente nos comentários!

Você sabe como produzir conteúdo para a persona do seu cliente?

Você sabe como produzir conteúdo para a persona do seu cliente?

Depois de estudar seu cliente, estruturar a base de ação, com a persona já identificada e pronto para entrar no planejamento de conteúdo, vem aquele bloqueio criativo e você pensa, “e agora, que vou entregar de conteúdo para a persona do meu cliente”. Sim, quem nunca?

Lembrando sempre, a importância de não ter medo do cliente e sempre perguntar tudo, até os mínimos detalhes, vai facilitar muito seu planejamento.

 “Uma campanha de marketing de conteúdo eficaz requer que os profissionais de marketing criem conteúdo original da empresa ou fontes externas” Philip Kotler em Marketing 4.0

Mas a facilidade da internet está aí para isso e podemos usar diversas plataformas e ferramentas para produzir conteúdo para a persona do seu cliente. Para produzir um bom conteúdo, não podemos pular a etapa de pesquisa e conhecimento de mercado para destacar o que realmente tem importância no mar de informações que é a internet.

Stalkear e saber o que está em evidencias em Blogs, páginas de influenciadores, o que os concorrentes estão fazendo, é basicamente os primeiros passos.

Grupos de Facebook, são recheados de conteúdo. É sempre bom estar em diversos para poder saber o que eles estão consumindo de informações. Outra plataforma sensacional é o Twitter, que tem conteúdos férteis, podendo pegar o “timing” de algumas situações e gerar conteúdo.

Além dessas formas de pesquisa, vou listar aqui, algumas ferramentas que para ajudar nessa pesquisa de conteúdo. Vamos lá:

Para analisar qual conteúdo está se desempenhando melhor em algum tópico e até concorrente. Essa plataforma é paga, porém, tem 7 dias de teste gratuito, o que vale a pena experimentar e conhecer seu potencial.

Para analisar os termos mais populares de busca no passado e no presente. Pode ser feito um comparativo de conteúdo e em qual período ele é mais comentado ou buscado e tudo isso grátis.

Esse é bem interessante e gratuito. Pode-se verificar como está o trafego do site do seu cliente e buscar por determinadas palavras chaves, e vários temas sobre, além de ter vários insights pelo volume de busca e até pelo CPC.

Uma ferramenta de dados e insights, para analisar as tendências de consumo de temas variados e ficar atualizado no comportamento do consumidor.

Importante, fazer um mapa mental para organizar o que captou nas pesquisas e colocar a mão na massa montando conteúdos de qualidade para prender a atenção da sua persona até o final.

Como dica, lembre-se que título é um cartão de visita para sua persona, se não for atraente, seu trabalho pode ser em vão e não esquecer do visual, seu criativo, para enriquecer ainda mais seu conteúdo.

Leia sobre Persona

“A Persona pode estar ao seu lado.”

“4 ferramentas baseadas em dados para conhecer melhor sua persona”

Planejamento de conteúdo: o que é e dicas de como fazer

Planejamento de conteúdo: o que é e dicas de como fazer

Você já sentou na frente do computador e teve dificuldades para produzir conteúdo? Se a sua resposta foi sim, esse texto é para você! Muitas vezes, essa dificuldade existe por não haver uma estratégia de conteúdo bem definida.

Independente da área de atuação, alguns pontos precisam ser definidos antes de colocar a mão na massa e efetivamente produzir conteúdo. No livro Marketing de Conteúdo, Rafael Rez, define a estratégia de conteúdo como a “prática de planejar, criar, entregar e gerenciar conteúdo útil e interessante a um público-alvo específico”.

Planejar, de forma geral, é saber onde se está e aonde se quer chegar. É nessa etapa que se deve entender o público, definir os objetivos do conteúdo, mapear a concorrência e determinar quais serão os primeiros passos.

O primeiro passo do planejamento de conteúdo é conhecer o cliente e criar personas, estereótipo do cliente ideal, para direcionar a conversa com ele. Podemos desenvolver quantas personas forem necessárias para conversar efetivamente com o público. Que saber mais sobre persona? Nesse post, nós falamos de 4 ferramentas baseadas em dados para conhecer melhor a persona. Já nesse, mostramos como se comunicar com o seu cliente de forma singular. Confira outros conteúdos sobre persona.

O segundo passo é definir os objetivos do marketing de conteúdo para o negócio. Sem essa etapa, não é possível saber o que devemos correr atrás. O maior erro das estratégias de marketing, de forma geral, é não ter um objetivo claro e definido. Aprendi com Michael Porter que uma estratégia sensata começa com um objetivo correto. Da mesma forma que o planejamento estratégico deve ter um objetivo para o negócio, cada conteúdo produzido deve ter um objetivo específico.

Em seguida, é importante definir em quais canais atuar. É preciso estar em diversos canais para conseguir falar com a audiência e muita gente erra achando que a internet inteira se resume ao Facebook, por exemplo. Em alguns momentos, o ponto de contato com as personas vai acontecer através das mídias sociais, em outros do e-mail ou, até mesmo, do WhatsApp.

O quarto passo é a definição dos formatos de conteúdo. Depender exclusivamente de um formato de conteúdo não é o ideal. Por isso, trabalhe com formatos diferentes como post de blog, infográficos, vídeos, redes sociais, etc. e varie sempre que possível.

Após a definição dos formatos, é importante criar um calendário de conteúdo com temas e datas comemorativas relevantes para aquele negócio. Depois de todas essas etapas, é o momento de definir os KPI’s e as métricas. Sem saber o que medir, não é possível entender se a estratégia de conteúdo estabelecida está tendo sucesso ou não. Lembre-se de documentar todas etapas, metas, objetivos e como os conteúdos selecionados estão sendo estratégicos para alcançá-los.

Por fim e não menos importante: não se esqueça de que atrás de cada avatar, cada e-mail e cada tweet, existe uma pessoa. Então construa relações verdadeiras com os seus clientes.

Use as plataformas que você tem, mas faça diferente

Use as plataformas que você tem, mas faça diferente

Facebook, Instagram, Twitter e tantas outras redes sociais que são usadas com a preocupação somente de vender um produto ou serviço, de mostrar a cara oferecendo os principais benefícios a curto prazo, o imediatismo que, para Bauman, não passa de uma condição de nossa era, tudo se desfaz em rolagens de tela que duram alguns segundos, em busca da próxima grande interação.

E é aí que a sua marca deve se fazer presente. Você produz conteúdo para o “social’ também?

Não é questão de só publicar o meme do momento, mas entender a fase do seu usuário. O que ele quer?
A lady Ariane escreveu mais sobre isso aqui.

Use as redes sociais de uma maneira diferente: veja os conteúdos que as outras pessoas estão fazendo e se inspire. Não tem problema nenhum em stalkear o conteúdo alheio. Na verdade, tem problema se você não fizer isso.

“É tipo isso, mas não isso” (autor desconhecido)

 

#semtreta #pas 

Você usar as plataformas ao seu favor já é um começo. Enquete nos stories do Instagram, reações do Facebook, chatbots… São várias as possibilidades de produzir um conteúdo usando as ferramentas que já estão a sua disposição.

Como um pedido da Ariane que não tem como negar, aqui estou eu, e falarei novamente sobre o meu filho mais novo (porque mãe besta é assim): RPG nos stories.

Tive um insight durante meados de maio e me perguntei porque ainda eu não tinha feito aquilo. RPG nos stories não é novidade: o @pensandorpg e algumas outras contas já fazem isso. Porém, colocar pitadas de marketing digital foi uma forma que encontrei de ficar à vontade criando conteúdo (vamos botar a cara no sol, né?)

Colocando a frase “antes feito que perfeito” como mantra e, claro, planejando a narrativa e possíveis desdobramentos dela numa folha de papel que estava a minha disposição, tracei a primeira missão. E então, era hora de colocar o plano em prática. Abri o Canva (lembra do “antes feito que perfeito, né?”) e comecei a já criar os stories, mas de forma que não parecessem tão “arte”: fundo preto e duas fontes bacanas e estava resolvido o meu problema (inclusive, temos um conteúdo sobre o Canva aqui).

Depois de pronto, programado em uma ferramenta que uso para gestão de redes sociais (sim, eu trato meu perfil como meu cliente!). E quando eu dei uma pausa, devido aos dias de correria misturados com bloqueio criativo, me perguntaram se eu não iria continuar. Isso serviu como um baita tapa na cara: realmente tinha gente que estava sentindo falta (~surprise face~).

Um outro exemplo bem bacana é o do Capitão Planeta Brasil: um chatbot que interage e informa. O intuito é de você descobrir o seu elemento ao mesmo tempo em que:

 

 

 

E agora, me conta… Qual ação você fará para entreter o seu público e ainda passar a mensagem da sua marca?

 

– Caroline Pinna

 

Cliente exigente e a personalização nas vendas  

Cliente exigente e a personalização nas vendas  

Se você for perguntar para os seus pais ou avós o que eles levam em conta na hora de comprar algum produto, como por exemplo, uma máquina de lavar, certamente eles dirão que é a qualidade da marca, capacidade de quantos quilos ela suporta, se economiza água, entre outras qualidades.

Agora, se pergunte, o que te levaria a comprar tal máquina de lavar? Deixa eu adivinhar, você deve ter pensado em como ela pode agilizar a sua rotina, em como a conta de energia poderá sair mais barata para você, entre outros itens que sempre levam em consideração.

É nesse ponto que quero chegar. O consumidor ficou muito mais exigente, e isso fez com que as empresas mudassem suas linhas de pensamentos e tirassem o foco dos produtos, passando a mostrar o que podem proporcionar para a satisfação do cliente ou nos benefícios que trarão para seus consumidores.

Mais que conhecer os gostos e preferências de seu cliente, entender qual o objetivo ao comprar, faz também muita diferença na hora de apresentar isso de forma mais atrativa e PERSONALIZADA.

Com isso, sabendo o que o cliente quer comprar, quanto ele pretende investir e outros detalhes, fica mais fácil criar o tipo de cliente ideal, ou o que costumam chamar de: PERSONAS.

Saber o público que você deseja atingir é essencial, mas a persona vai muito além disso, ela personifica quem é o seu potencial comprador em detalhes, o que facilita na hora de produzir os conteúdos direcionados e com a qualidade que acarretará em resultados.

Criamos personas para enviar a mensagem certa para as pessoas certas e, assim, termos maiores chances de sucesso.

É fácil? Nem sempre, mas se o seu negócio ainda não tem uma persona – ou várias personas (sim isso é possível) -, recomendo que comece a identificar seus potenciais clientes e a personalizá-los o quanto antes!

 

A persona pode estar do seu lado

A persona pode estar do seu lado

A construção de personas é uma das partes mais importantes no desenvolvimento de um planejamento estratégico e é também uma das que geram mais dúvidas entre os profissionais de comunicação. Há diversas estratégias que podem auxiliar nesse processo.

Hoje, eu gostaria de ressaltar uma dica bem simples que pode ser crucial para a criação de uma persona efetiva.

Quando vamos desenvolver um planejamento para uma empresa que já possui seu serviço em andamento, ou seja, que não está se lançando no mercado naquele momento, muitas vezes nos esquecemos que uma das grandes chaves para entendermos com quem aquela marca fala/convive/vende está justamente em ouvir quem já lida com os clientes de forma mais direta.

Por exemplo, em uma loja de roupas, o ideal seria marcar um bate papo com os atendentes. Eles é que poderão nos contar um pouco mais do perfil de consumidores mais frequentes.

Às vezes, os sócios da loja sabem nos passar informações sobre o ticket médio, quais são os produtos mais rentáveis, como tem sido o lucro mensal, quanto pretendem vender no próximo ano, mas a parte, digamos, social, fica por conta dos que estão na linha de frente, em contato direto com o público. E esse é um tesouro que está ali ao nosso alcance.

Portanto, na hora de construir personas, lembre-se de não se ater somente às pesquisas exteriores e aos prospects que os donos almejam ter, mas também em dar atenção aos clientes que já existem e que podem nos dar um norte certeiro sobre qual caminho seguir.