Escolha uma Página
No dia das mães, seria bom saber que existe pai que faz

No dia das mães, seria bom saber que existe pai que faz

Pais que assumem a responsabilidade pelos filhos e pela casa podem sempre ter existido ao longo da caminhada feminista. Mas o patriarcado sempre dono da coisa toda, desde tempos remotos até nossos dias, nunca promoveria tal “insulto”.

Resultado: eles são a minoria. Ou pelo menos parecem ser.

Numa tentativa frustrada de compensação, muitos homens usam uma palavra nem um pouco razoável pra dizer que estão presentes. Eles dizem que ajudam em casa. Mas em 2019, um pai dizer que “ajuda” sua companheira, está pedindo pra ser zoado. Ajudar apenas, é pouco.

Anos à favor do empoderamento feminino, deixaram dentre outras, essa lição: mulher não precisa de ajudinha pra lavar a louça. Precisa de parceria emocional, financeira, social. Precisa de quem decide junto, pensa junto, de quem se esforça pra reconhecer o trabalho invisível da ala feminina, de quem quer educar os filhos, abraçar a causa e manter a casa em ordem. Afinal também mora nela.

 

Pai que faz, um passo à frente

Compreendemos com os neurocientistas que para criar um novo hábito é preciso repetir uma atitude muitas vezes, até que ela seja incorporada e torne-se padrão em nossas vidas.

Levada ao pé da letra, essa poderia ser uma tática utilizada pelos pais para assumirem a responsabilidade pelos filhos e pela casa, somando com a companheira.

Porque se a participação masculina na rotina de uma casa, não é de iniciativa própria, então que seja um fator de treinamento. Quem sabe ensina, mas também deixa fazer.

 

Jeitinho próprio dos pais

Eles levam jeito. O jeito deles. Sem intromissão ou descrédito, podem fazer tudo o que as mães fazem. Basta que se abra esse espaço.

Em algum ponto do DNA masculino, tem aquele ensinamento antepassado que os acompanha, e podemos acreditar que está apenas adormecido. Foram avós, mães e tias que sorrateiramente instalaram em seus pequenos, maneiras de viver em comunidade e sobreviver em sociedade.

Homens contemporâneos acompanharam de perto e puderam observar, como se limpa um chão, como se arruma uma cama, como as roupas são lavadas.

Através da atenção da mãe com os irmãos mais novos, puderam perceber como o bebê tomava banho, se alimentava e como se acalmava quando era carregado no colo pelo adulto cuidador.

Portanto, há um poço de conhecimento guardado dentro de cada pai. Deixando a luz do sol bater nessas informações, elas florescem e os pais começam a agir não como as mães, mas como simplesmente eles mesmos.

Com proatividade não há nada que um pai não possa fazer.

 

Lição de casa para eles

Um pai reconhecer que esse lugar onde as mães trabalham sem parar, existe, é o primeiro passo. Depois é mãos à obra, não tem outro jeito. Está liberado pesquisar no Google, perguntar pra mãe(!), trocar muitas ideias com a companhia que escolheu para viver, mas é fazendo que se aprende ser pai, cuidador e dono de casa.

Com a adaptação, eles podem ousar. Levantar a bandeira e mostrar para os amigos, primos, irmãos, que sim, eles dividem a rotina, assumem uma posição à favor das mulheres perante o machismo e isso é uma delícia!

A mensagem das mulheres mães ou não – para eles – pais ou não, está plantada. Aos homens, uma saída feliz e produtiva é a colheita desse legado feminino.

No dia das mães, descobrir que um pai pode ser muito mais do que ele mesmo arrisca saber, dá novo sentido a data. Vê-lo em ação então, seria um verdadeiro presente.

Tudo pode ser construído, mesmo que pareça irrealizável.

Prospecção: como aprender a trabalhar com o que tem valor

Prospecção: como aprender a trabalhar com o que tem valor

Você sabe vender o seu trabalho? Quando perguntam o que você faz, você consegue defender o serviço com orgulho de forma que encante seu interlocutor? A prospecção de novos clientes também passa por essa paixão e vai além: é preciso  que a admiração e a confiança andem juntas.

O sucesso da sua empresa depende da conquista de clientes e depois da fidelização dos mesmos. Para quem trabalha como eugencia, ou presta serviços como mídias sociais, redação, revisão, front e back end e marketing digital, só para citar alguns, é necessário sair do escritório e ir falar com o outro.

Fazer uma visita a um futuro cliente que veio como um lead pelo funil de vendas ou puramente por indicação é fundamental para apresentar o seu trabalho.

Quando a mágica da prospecção acontece

Se esse é o seu primeiro contato, vale abusar dos apps: pode marcar um skype, ou mandar um oi para se apresentar e marcar um horário. Um dia alguém disse que nada substitui o olho no olho e é verdade, principalmente na hora de fechar negócios. Pessoalmente você vai sentir o que realmente importa e vai gerar valor.

Faça acontecer com uma conversa profissional e extrovertida. Você conhece o valor do seu produto, coloque-o na mesa e venda-o. Se der medo, faça mesmo assim.

Antes porém, faça o check list e prospecte com confiança:

Pessoal: vista-se de maneira profissional, mas confortável. Seja você mesma, de modo que não tenha que preocupar-se durante a prospecção, com a manga da blusa que não para no lugar.

▪Lição de casa: conheça o seu futuro cliente e os clientes dele. Faça a busca. Por menos online que a marca dele esteja, algo deve aparecer. Estude também os concorrentes. Assim, conforme o cliente fala, você compreende que tipo de serviço vai ser ideal para ele.

Networking: tenha o seu cartão de visita sempre a mão, após uma reunião deixe o cartão. No elevador, se trocou uma conversa de trabalho com alguém, deixe seu cartão também.

Voz: faça-se ouvir. É bem sabido que as mulheres são interrompidas por homens sempre que tomam a palavra. Um tom de voz firme e sincero é garantia de envolvimento na conversa. Em caso de (muita) interrupção, faça um gesto erguendo a mão direita, como se pedisse para o outro esperar e termine o raciocínio. Pedir licença e continuar a falar também pode. Depois de terminada a explanação abra para perguntas.

Coração: fale a verdade sobre o seu negócio. Não prometa nada que não pode cumprir. Ofereça seus serviços e o que não estiver à sua altura prometa pesquisar a possibilidade, se isso fizer parte do seu escopo profissional, do contrário troque por outro serviço ou produto, ou simplesmente diga que a sua empresa não faz esse trabalho.

Ouça e anote: seu futuro cliente, por mais que não saiba o que quer e nem saiba explicar o que a empresa dele precisa, tem muito conteúdo para te oferecer. Atente-se aos pequenos detalhes. Apure seu faro e anote o que achar importante ou intrigante. Com certeza vai ser útil quando as demandas vierem.

Não abrace o cliente como se fosse o último: precisamos de dinheiro, sim. Mas a dignidade deve ser a nossa pauta. O mercado empobrece cada vez que um cliente que não precisa de tudo o que temos a oferecer é empurrado goela abaixo com todos os nossos serviços. Por outro lado, um cliente sabichão que queira contratar o mínimo, mas receber o máximo, deve ser revisto.

▪Tenha o contrato claro: o combinado nunca sai caro. Tenha no contrato exatamente o que ficou acertado. Todo mundo tem a cópia, todos leram, todos assinaram. Explique sobre essa conduta na prospecção.

Faça pacotes: pequeno, médio e longo prazo nunca dá errado. Se o futuro cliente só quer experimentar, curto prazo é o tamanho ideal para que ele entenda como o trabalho é feito. Já o resultado que ele espera obter, somente do médio prazo em diante. Deixe claro.

 

No mais, coragem menina! Ninguém conhece mais do que você mesma o trabalho que você apresenta. Tome um banho de auto-estima e vista sua própria camisa. Prepare um tipo de apresentação único que tenha o seu jeito. Faça com que sua visita seja leve pra você mesma. Fique à vontade e perceba ao final da prospecção que o medo pode criar monstros enormes, mas na verdade não passam de imaginação.

Que o sucesso esteja com você!

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com