4 lições sobre performance em marketing digital que a corrida de rua me ensinou

4 lições sobre performance em marketing digital que a corrida de rua me ensinou

Trabalho com marketing digital desde 2013, quando comecei a fazer estágio em uma agência de publicidade. Mesmo ano em que descobri o vício das corridas de rua e participei da minha primeira prova de 10 quilômetros.

De lá para cá, já participei de inúmeros eventos relacionados à área, me formei em jornalismo e fiz uma pós-graduação em Marketing e Design Digital. Assim como corri provas com distâncias variadas de 5 a 21 quilômetros. As provas com distâncias maiores, como uma meia maratona, nos exigem um pouco de experiência e treinos mais específicos. Não dá para simplesmente calçar o tênis, sair correndo e esperar completá-las sem a sensação de sofrimento.

Passado um tempo que estava inserida nesses dois universos, descobri que para ter melhores resultados precisava entender mais sobre performance e que ela diz muito sobre esses dois universos.

Conheça 4 lições que a corrida de rua me ensinou sobre performance em marketing digital:

1 – Desempenho

Para ter um bom desempenho nas corridas de rua é preciso ter resistência cardiovascular, ou seja, o corpo precisa suprir os músculos de oxigênio. Levando essa máxima ao negócio, precisamos coletar, processar e interpretar os dados de forma eficiente. Só assim, teremos boas tomadas de decisões.

2 – Amplitude

Nas pistas, é preciso ter flexibilidade no movimento das articulações para aumentar a amplitude das passadas e, assim, diminuir o pace (minutos por quilômetro percorrido). Já no marketing digital, para maximizar as conversões é preciso criar, testar, analisar, testar novamente, analisar mais uma vez, replicar e, por fim, tentar escalonar. É um verdadeiro pensamento de growth hacker. Afinal, se será necessário desenvolver uma mesma ação mais de uma vez, é possível automatizá-la. Dessa forma, podemos gastar tempo e energia em outras coisas mais importantes como padrões, regras, anúncios, testes e outras coisas que demanda que só podem ser desenvolvidas por alguém com capacidade analítica.

3 – Agilidade

Correr a maior quantidade no menor tempo possível é sinônimo de agilidade. Como livre analogia, podemos falar nos testes, resultados e alterações. Mudanças em uma campanha que antes demandavam tempo, hoje podem ser realizadas rapidamente e de forma eficiente.

4 – Saúde

Por fim e não menos importante: manter-se em movimento é bom para a saúde. Tanto a sua quanto a do seu negócio! Estamos vivendo mudanças cada vez mais rápidas que nos mostram que as melhores práticas já não são mais suficientes para crescer de forma saudável. Precisamos criar o nosso futuro priorizando as pessoas e as interações com elas. Depois podemos focar na tecnologia e na marca, que será muito bem recompensada!

Preciso montar uma equipe de Marketing Digital. E agora?

Preciso montar uma equipe de Marketing Digital. E agora?

Começo dizendo, amigo(a), que te compreendo. Nas últimas semanas, comecei a prestar consultoria para um cliente que precisará montar uma equipe para um projeto digital.

Um projeto lindo, com cunho social, mas que precisa de uma equipe que consiga conversar com a empresa, que é bem tradicional, e com o público-alvo do projeto, esse sim presente cada vez mais no ambiente digital.

Daí, além de delinear bem o projeto, preciso pensar em como deve ser essa equipe, que começa com um único profissional alocado, mas que tem o potencial de crescer muito!

Pois bem. Pensando no perfil do primeiro profissional a ser contratado, pensei em vir aqui falar um pouco sobre o que tenho buscado e lido para a montagem desse perfil profissional.

Segundo o relatório Content Trends 2018, da Rock Content, times pequenos de até 5 pessoas são a maioria nas agências e empresas pesquisadas, sendo que:

  • 24,2% das empresas pesquisadas não têm equipe de marketing;
  • 22,1% têm 1 pessoa (basicamente, aquela que se vira nos 30);
  • 36,4% têm um time de 2 a 5 pessoas.

Ou seja, mesmo em um time enxuto, é possível gerar resultados satisfatórios, desde que você entenda como deve ser a composição dessa equipe e qual o foco que deverá dar para suas ações. Para isso, é essencial que você encontre pessoas com o perfil correto para cada fase do crescimento.

Neste post, foco no perfil desse profissional que será o único, ou o primeiro, a tocar uma estratégia de marketing em uma empresa. Mas, também indico leituras para que gestores de times maiores possam ter uma boa base para job descriptions e seleção de profissionais mais especializados. Vamos lá?

 

Ok, tenho um time pequeno. O que devo fazer?

O primeiro passo é entender que um time de 1 ou 2 pessoas não conseguirá entregar os mesmos resultados que um time de 20. Então desapega da vontade de fazer tudo-ao-mesmo-tempo-agora.

Depois, escolha qual será o foco dos seus esforços. Redes Sociais? Blog? E-mail Marketing? WhatsApp? Melhor atuar bem em dois canais do que ser mediano em cinco. Além disso, tal qual a medicina, o marketing digital é composto por tantas especialidades que é literalmente impossível uma pessoa ser fera em todas elas.

Porém, existem algumas características importantes que esse profissional de um time enxuto precisa ter. Como ele precisará lidar em várias frentes, é essencial que ele seja:

  • Proativo e organizado: se sua empresa não tem um gestor ou coordenador, você precisa contratar alguém que seja preparado para executar suas funções sem muita cobrança ou supervisão constante. Isso porque o seu foco deve estar em acompanhar os resultados, e não em verificar se a pessoa está ou não fazendo o que deve fazer.
  • Ter aprendizado autogerenciado: o marketing digital é uma doideira. Todos os dias surgem novas funcionalidades, o que aprendemos no mês passado pode não mais ser relevante hoje. Assim, esse profissional precisa saber onde e como se manter atualizado, ser curioso e antenado, e ter uma sede de aprendizado constante.
  • Alguém que sabe trabalhar em equipe: por mais que talvez ele esteja sozinho no setor, esse profissional precisa saber lidar com pessoas de diferentes áreas, para conseguir obter informações para as ações de marketing, bem como para levar para outros departamentos os feedbacks dos clientes no digital.
  • Alguém que sabe resolver problemas: em uma situação de crise, de alerta ou de dificuldade, esse profissional precisa ser desembaraçado o suficiente para colocar a mão na massa e resolver o problema ou buscar ajuda.
  • Profissional “T-shaped”: o termo, usado pela primeira vez em 1991, significa alguém que é normalmente generalista, mas que se especializa em uma ou duas áreas. Assim, na horizontal, está a abrangência de assuntos que o profissional entende, ou pelo menos consegue conversar sobre. Na vertical, aquelas áreas em que ele realmente domina. Abaixo, segue uma imagem de como seria um profissional T-Shaped em Growth Hacking, retirada deste post.
    Assim, trazendo para uma linguagem mais simples, é legal que essa pessoa, por mais que seja especialista em um assunto, como redes sociais, email ou conteúdo, entenda pelo menos um pouco sobre várias estratégias de marketing.

Por fim, quero deixar aqui a indicação de um livro e dois e-books que ajudam muito na hora de pensar job descriptions, competências e características que esse profissional a ser contratado precisa ter.

  • Como alcançar grandes resultados com pequenos times de marketing.
    Nível: básico
    Por que baixar: Além da explicação básica de como um time de marketing enxuto precisa ser, este e-book indica algumas ferramentas para que este time possa trabalhar, e o case de como a própria Rock Content operava com um time de apenas 3 pessoas.
  • Times de Marketing: como estruturar, contratar e escalar o seu.
    Nível: intermediário
    Por que baixar: O bacana deste e-book é que ele explica como equipes de diferentes tamanhos são formadas, apresenta os papéis essenciais nesses times e ainda traz 18 descrições de vagas para diferentes cargos, como analista de redes sociais, gerente de conteúdo, designer gráfico, especialista em audiovisual e outros.

    – Livro: Gestão por Competências – Ferramentas para atração e captação de talentos humanos
    Autora: Maria Odete Rabaglio
    Por que ler: Porque traz de forma prática metodologias e a descrição do passo a passo para montar e conduzir um processo seletivo, contendo competências e habilidades para a descrição de cargos e funções. O livro traz até mesmo perguntas a serem feitas em processos seletivos para checar se o candidato tem aquela competência específica que buscamos.
Marketing Digital & Marketing Tradicional

Marketing Digital & Marketing Tradicional

As pessoas tem uma necessidade latente de fazer conexões e se comunicar. São seres extremamente sociáveis que precisam estar inseridos em um meio social, em uma comunidade e se sentir parte dela.

Com o avanço da tecnologia, a população passou a ter mais acesso ao que acontece a nível mundial. As conexões aumentaram e as informações chegam em uma velocidade nunca vista antes.

Não é mais necessário esperar dias e dias para ler uma carta que alguém enviou. Hoje, é possível manter uma conversa com alguém mora há milhares de quilômetros de distância.

Com essa modernização o marketing tradicional gerou um filho, o marketing digital.

 

O marketing digital

 

Com um pouco mais de 16 anos de vida, esse filho adolescente constantemente passa por mudanças. Seu meio é dinâmico, íntimo e pessoal. Algo completamente diferente do que seu pai estava acostumado.  O digital se fundiu com o real, e hoje o mundo é onoff.

A comunicação unilateral, ou melhor, o monólogo trabalhado no marketing tradicional ganhou uma nova versão, uma comunicação espontânea cujos consumidores falam diretamente com a marca e exigem que ela siga fielmente sua missão e valores.

Há empresas que ainda não se renderam a magia do digital, a essa nova realidade. Continuam a investir no mercado tradicional. Mas para ser lembrada, uma marca tem que ser vista! E para se comunicar com eficiência com seu público é preciso saber onde ele está.

Segundo uma análise feita pelo próprio Facebook, a rede possui mais de 2 bilhões de usuários a nível mundial. O Brasil, já ultrapassa os 102 milhões de compartilhamentos mensais. Desses, 93 milhões compartilham seus momentos por mobile.

O Instagram não fica para trás, a rede reuni mais de 50 milhões de usuários brasileiros ativos por mês. Cerca de 2 milhões de anunciantes fazem uso do Instagram para apresentar seus produtos nos feeds dos consumidores.

O Facebook divulgou que 99% dos usuários ativos afirmam ler as publicações das marcas (dados de 2015). 63% desses acessam a plataforma para descobrir novos produtos.

 

Será que o marketing tradicional ainda é o melhor canal para investimento?

 

marketing digital

Imagem: Neil Patel

Analisar o ambiente geral, criar um planejamento são vantagens que tanto o marketing tradicional quanto o digital tem. Mas somente o digital pode mensurar com precisão os resultados que determinada campanha gerou. É possível filtrar muitas informações sobre o público com esses resultados, por meio das métricas desenvolvidas pelas plataformas.

Cada métrica mostra o melhor caminho a seguir para que a empresa atinja o objetivo da campanha com sucesso. Elas apresentam não apenas o valor investido, mas também as taxas de cliques, de conversões e muitas outras. Itens fundamentais para entender como a campanha se desenvolveu no período proposto. É possível ainda, otimizar o desempenho de cada campanha enquanto está sendo veiculada para o público. Uma vantagem que o marketing tradicional não dispõe para as empresas que investem nele.

Isso não significa que todo investimento do marketing tradicional deve ser cessado, apenas que é preciso analisar com discernimento quais são os canais que ofereçam o melhor resultado, a melhor forma de alcançar o objetivo da empresa.

O marketing digital é o presente e o futuro, e não trabalhar com ele por medo ou falta de informação é não acompanhar as mudanças mundiais.

 

 

Já pensou em usar o Instagram Stories para Remarketing?

Já pensou em usar o Instagram Stories para Remarketing?

O Instagram Stories é uma ferramenta que pode ser um diferencial na sua estratégia digital, principalmente nas campanhas de remarketing.

 

Você já se perguntou se é possível impactar as pessoas que acessaram seu site pelo menos uma vez? Ou se é possível impactar novamente as pessoas que já se interessaram por algum conteúdo ou produto do seu negócio ou do seu cliente? Ou até mesmo aqueles que só acessaram uma landing page específica?

Saiba que é possível! Se você nunca usou esse recurso em suas campanhas, tenho certeza que já foi impactado por algum anúncio com essa finalidade. Sabe quando você pesquisa por algum produto e, em seguida, começa a receber vários anúncios sobre ele? Chamamos isso de remarketing!

 

Entenda como funciona o remarketing

Para entender melhor como isso funciona, precisamos falar sobre o Pixel do Facebook. Uma ferramenta analítica que ajuda a medir a eficácia do anúncio. É um código que deve ser inserido no site. Com ele, você conseguirá monitorar as visitas e criar a lista de pessoas para impactar novamente o público que acessou esse site (remarketing). O objetivo é entender as ações que as pessoas estão realizando e alcançar públicos importantes para você que se tornarão consumidores de produtos e serviços oferecidos.

Você pode usar dados de pixels para:

  • Certificar que seus anúncios sejam exibidos às pessoas certas

Encontre novos clientes, pessoas que visitaram uma página específica ou que realizam uma ação desejada no seu site. Além disso, crie Públicos Semelhantes para alcançar mais pessoas que sejam parecidas com seus melhores clientes.

  • Gerar mais venda

Configure os lances automáticos para direcionar pessoas mais suscetíveis de executar uma ação que você deseja, como uma compra.

  • Avaliar o resultado dos anúncios

Entenda o que aconteceu como resultado direto do anúncio para verificar o desempenho dele. Você pode visualizar informações como suas conversões e vendas.

 

Remarketing no Instagram Stories

Essa estratégia de remarketing deve fazer parte do seu planejamento digital sempre. Você pode e deve aproveitar esse recurso para todas as redes sociais, inclusive no Instagram Stories.

Desde novembro de 2017, existem mais de 300 milhões de contas ativas no Instagram que usam, todos os dias, um Stories, um formato criativo em full screen que permite às pessoas assistirem e compartilharem momentos do dia-a-dia por meio de fotos e vídeos que desaparecem em 24 horas (a não ser que sejam salvos).

Em junho de 2018, metade de todas as marcas que estavam no Instagram criaram pelo menos um stories em um mês típico. E os brasileiros estão muito receptivos a esse novo formato. Uma pesquisa realizada no Brasil, Indonésia, Reino Unido e nos EUA revelou que, em média, uma em três pessoas que declararam usar o Instagram diariamente, se tornou mais interessada em um produto ou marca depois de assistir um Stories sobre ela, enquanto no Brasil o percentual foi de 47%.

Além disso, 69% dos entrevistados afirmam que o Stories do Instagram é uma boa maneira para conhecer novos produtos ou serviços. 62% das pessoas entrevistadas têm mais interesse em marcas e produtos depois de visualizar um Stories de empresas. 31% dos entrevistados dizem que no futuro terão maior propensão em usar essa ferramenta para se conectarem com as marcas que gostam.

As ação mais comuns das pessoas após a visualização de um conteúdo das marcas no Stories, foram acessar o site ou ir à loja para saber mais informações sobre produtos e serviços ofertados.

Os stories oferecem às marcas a oportunidade de se comunicar com seus consumidores por meio mensagens ultra relevantes baseadas no que está acontecendo em um determinado dia.

Todos os dias 500 milhões de contas usam o Instagram Stories, o que diz muito sobre o sucesso da ferramenta entre as pessoas e as marcas. Isso acontece porque com o formato vertical é possível compartilhar imagens e vídeos mais imersivos, divertidos e sem limite para a criatividade.

Durante a pesquisa, as pessoas demonstraram o que consideram relevantes nos conteúdos de marcas no Instagram Stories, confira:

  • 51% querem saber mais sobre promoções
  • 51% apresentam facilidade e agilidade para compreender o conteúdo
  • 45% querem obter dicas e conselhos
  • 44% devem mostrar novidades de produtos e serviços
  • 43% acham que deve ter autenticidade nos Stories

Utilizar a estratégia de remarketing com criativos interessantes para o público de uma marca tende a ser um dos diferenciais para sucesso de campanhas de marketing atualmente. Essa pesquisa nos ajuda a encontrar insights para ideias de vídeos, criativos e conteúdo a ser aplicado na nossa estratégia digital.

 

Atenção na hora das campanhas de remarketing

Mas, o que levar em consideração na hora de usar essa ferramenta para as campanhas de remarketing?

  1. 40% dos stories visualizados têm o som desativado, tenha em mente o uso de legendas e sobreposições na hora de criar campanhas para este formato. Pense também em usar recursos de som para os outros 60% que optam por ter essa experiência.
  2. Seja criativo. Elementos criativos tornam um anúncio do stories mais efetivo. Aposte neles. Com o Instagram Stories, a tela inteira dos celulares se torna uma vitrine de sua marca (e de sua criatividade). Além disso, use a velocidade como uma ferramenta criativa. Tudo acontece muito rápido no Instagram Stories. Experimente narrativas mais curtas para transmitir a mensagem e exibir sua marca.
  3. Duas (ou mais) cenas são melhores que uma. Um único story pode conter vários capítulos, cenas ou momentos rápidos. Oferecer cortes mais rápidos de um momento para o outro ajuda a manter as pessoas envolvidas com seu story.
  4. Apresente sua marca. Apresente seu produto, marca ou mensagem no início e no fim do Story para gerar mais lembrança.
  5. Explore mais. Os stories ainda são um formato em ascensão. Explore diferentes possibilidades para descobrir o que funciona para o seu público.
  6. Utilize a estratégia de vendas upsell. Ofereça uma condição especial para que o cliente compre mais. Ex: Se ele já comprou, você pode usar o pixel para oferecer (através de um stories) um produto complementar ao que ele já comprou. Você também pode oferecer o mesmo produto um tempo depois com alguma vantagem.
  7. Cliente verdadeiro. Você pode direcionar um produto novo com exclusividade para quem já é seu cliente e assim fazê-los comprar novamente de você.
  8. Cliente que não comprou. Sabe aquele cliente que chegou até o processo final de compra e não finalizou? Ele pode ser impactado diretamente em um anúncio do stories. O objetivo é convencê-lo a voltar ao seu site para concluir a compra.

 

Essas são apenas algumas das formas de fazer remarketing no Instagram Stories. Existem milhares de maneiras que podem ser específicas de algum segmento ou área. Nossa ideia é te ajudar a impactar novamente um público para fechar vendas, ter mais leads, converter mais, gerar mais tráfego, aumentar o ticket médio de compras e você criar uma segmentação direcionada para seus anúncios. Veja alguns cases de sucesso do próprio instagram business para você se inspirar e depois conte pra gente como funcionou para você.

 

 

Fonte: pesquisa sobre o Facebook Stories realizada pela Ipsos (pesquisa encomendada pelo Facebook, com pessoas que afirmaram usar stories na família de aplicativos do Facebook, com idades entre 13 e 54 anos em AU (1.550), BR (1.639), CA (1.503), DE (1.500), FR (1.500), ID (1.540), IN (1.529), MX (1.505), PH (1.526), TH (1.575), UK (1.508) e US (1.603), agosto de 2018. “Stories” foi definido como “fotos e vídeos que você visualiza ou compartilha temporariamente por 24 horas em plataformas sociais”.

Marketing Sazonal: como fazer anúncios que vendem mais?

Marketing Sazonal: como fazer anúncios que vendem mais?

Você já começou seu planejamento digital para esse ano, levando em consideração o marketing sazonal?

O marketing sazonal é uma estratégia em que aproveitamos para estimular vendas em períodos específicos e manter o negócio aquecido. Nele, utilizamos datas comemorativas e sazonais como estratégia de mídia, conteúdo e vendas.

O objetivo é complementar, desenvolver estratégias e rotinas que vão potencializar as vendas e conquistar mais clientes. Para isso, 3 estratégias de marketing podem ser usadas durante esse período:

  • E-mail marketing (principalmente se você já tem uma lista de e-mails qualificada)
  • Anúncios pagos nas redes sociais (criação de campanhas publicitárias específicas)
  • Marketing de conteúdo (quando você já tem um blog e/ ou site com um bom tráfego de pessoas acessando e já com uma estratégia definida)

Muitos segmentos ainda não exploram tão bem o marketing sazonal, apesar de ele já ser bastante divulgado, principalmente no segmento varejista. Esse é o momento de você se destacar dos demais.

Como fazer um planejamento de marketing sazonal?

1 – Mapeie e escolha as datas comemorativas.

Como toda boa estratégia digital, trabalhar com datas comemorativas requer planejamento. Faça um levantamento das datas que são celebradas tanto universalmente quanto regionalmente. O Serasa Experian produziu um Calendário de Datas Comemorativas que pode te ajudar nesse momento.

Em seguida, avalie se elas fazem sentido para o seu cliente ou negócio. Não vai adiantar você escolher datas que não estejam alinhadas com o posicionamento do seu negócio ou do seu cliente. Escolher datas erradas podem gerar desperdício de tempo, dinheiro e recursos.

Saia do comum! Além das datas consideradas mais óbvias, leve em consideração as menos conhecidas. Datas alternativas poderão ser oportunidades para trazer bons resultados. Atualmente, no Brasil, existem mais de 150 datas comemorativas somente neste primeiro semestre. Aproveite!

2 – Entenda o seu público-alvo

Depois de mapear as datas mais importantes, o próximo passo é compreender o seu público-alvo (a quem se destina) e a sua jornada de compra ou modelo de negócio. Embora você já tenha seu público-alvo definido, algumas datas serão mais estratégicas para um público que não seja o seu diretamente. Tenha em mente que talvez você não se relacione em um primeiro momento com as suas personas diretas, mas ainda assim você alcançará novas possibilidades.

3 – Busque inspirações e referências anteriores

Realize Benchmarking, se inspirando no mercado e na concorrência. Se você está começando, pode ser interessante identificar estratégias que já trouxeram bons resultados e não correr muitos riscos com abordagens que não foram cases tão bons.

Além disso, pesquise se seu cliente ou empresa já fez alguma estratégia digital com datas comemorativas, esse resgate pode ser valioso para as suas novas ações.

4 – Crie uma campanha

Agora que você já planejou, pesquisou e entendeu seu mercado e público-alvo, está na hora de definir um propósito para sua campanha. Assim como qualquer campanha de marketing, é necessário definir que mensagem você quer passar e o retorno que você espera. Escolha bem em quais mídias e formatos que você quer aparecer. Faça com que a mensagem transmita seus objetivos e leve seus clientes ao caminho que você definiu.

Fique ligado: cada rede social tem características únicas. E cada campanha estará em uma etapa de funil de vendas específico. Sua estratégia deve considerar todos esses pontos. Exemplo: Enquanto o Twitter é formado por mensagens curtas, rápidas e com conteúdo em tempo real, o Facebook oferece um canal maior de relacionamento. Além de que, cada uma delas tem dimensões diferentes de tamanho de mensagens de textos, imagens e duração de vídeo.

5 – Faça um cronograma e elabore um plano de ação

“Uma ação para o dia de natal não começa no Natal.” É preciso se antecipar ao máximo para executar uma campanha em datas comemorativas, principalmente nas mais óbvias. Inicie o seu plano de ação com awareness para o topo de funil com no mínimo 2 meses de antecedência.

Seus concorrentes, provavelmente, terão a mesma estratégia que você. Se destaque. Será difícil competir quando todo mundo estará fazendo a mesma coisa em datas super concorridas.

Crie uma audiência antes para trabalhar o remarketing nesses períodos e assim garantir o fortalecimento da sua campanha com pessoas realmente interessadas.

É preciso estar atento aos temas e anúncios dos links patrocinados. O conteúdo deve ser criativo e consiga atrair novos clientes.

Dica: Defina horários certos para as postagens e pause em momentos auges. Monitorar a sua campanha será essencial para você ter bons resultados. Atualmente, avalie também, campanhas de marketing voltadas para dispositivos mobiles, pois estes possuem mais visibilidade que desktops (PCs).

Seja criativo! No Facebook, aproveite as diversas possibilidades de formatos ao seu favor. Aproveite as datas especiais para gerar vendas e promoções. Use o formato Obtenções de oferta. Crie cupons para as pessoas utilizarem nas suas lojas virtuais, físicas ou para divulgar algum serviço.

Com antecedência, publique imagens ou vídeos para avisá-los da promoção e gerar expectativas. Outro formato bem interessante é o Facebook Lead Ads, com ele você pode gerar leads e impactá-los posteriormente por e-mail marketing ou na sua própria campanha (através de listas de públicos personalizados).

Ah, não se esqueça de ter tudo preparado e validado para ser divulgado em todos os canais de comunicação que você escolheu com bastante antecedência.

Pra você que não considerou ainda essas datas, vale a pena repensar e aproveitar no seu planejamento digital. Ainda dá tempo!

Curtiu as dicas? Tenho certeza que estará mais preparado para aproveitar as oportunidades que o marketing sazonal pode trazer para o seu negócio ou cliente 🙂